Brasil lidera reconhecimento a homossexuais na América do Sul

Santiago do Chile, 18 fev (EFE).- O Brasil, junto com Argentina e Uruguai é um dos países sul-americanos que mais reconhecem os direitos de minorias sexuais, enquanto Bolívia, Chile e Paraguai são os que têm menor proteção, afirmam ONGs em um encontro que começou hoje em Santiago.

EFE |

O encontro, intitulado "Fortalecendo capacidades", reúne até domingo, na Biblioteca da capital chilena, cerca de 20 líderes de organizações de homossexuais e transexuais de Brasil Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai, Uruguai e Espanha.

No Brasil, o Governo Federal iniciou a campanha "Brasil sem homofobia" e convocou a primeira Conferência Nacional de Homossexuais, Bissexuais, Travestis e Transexuais, no ano passado.

No entanto, Alexander Boer, da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais, afirmou que os ataques contra homossexuais se repetem no Brasil e acusou a Igreja Católica de usar sua influência para frear o que chamou de "avanços legislativos", em referência ao Projeto de Lei 122/2006, que tramita no Congresso.

O projeto prevê pena de até três anos de prisão para atos ou comentários considerados ofensivos à orientação sexual, dando-lhes caráter específico dentro do crime -já existente- de injúria. EFE frf/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG