Brasil foi único país da A.Latina visitado pelo papa em 5 anos

Cidade do Vaticano, 17 abr (EFE).- Em seus cinco anos de Pontificado, Bento XVI realizou 14 viagens pelo mundo, uma delas ao Brasil, único país latino-americano que recebeu Joseph Ratzinger desde que ele se tornou papa.

EFE |

A primeira viagem do Pontificado foi a Colônia, em seu país de nascimento, a Alemanha. Ali, presidiu em agosto de 2005 a 20ª Jornada Mundial da Juventude, uma reunião que estava na agenda de João Paulo II, mas não pôde ser cumprida devido à sua morte meses antes.

Em maio de 2006, Ratzinger viajou à Polônia, país de João Paulo II; em julho chegou pela primeira vez à Espanha, para presidir em Valencia o 5º Encontro Mundial da Família; e em setembro voltou à região alemã da Baviera, onde nasceu, visitando Munique, Regensburg e as pequenas localidades de Altötting e Marktl am Inn.

Ainda naquele ano, viajou à Turquia, passando por Ancara, Éfeso e Istambul, onde orou e meditou na Mesquita Azul da antiga Constantinopla.

Em maio de 2007 fez sua primeira viagem à América Latina, ao Brasil, onde visitou São Paulo, Aparecida do Norte e Guaratinguetá, e inaugurou a 5ª Conferência Geral do Episcopado Latino-americano (Celam), no santuário de Aparecida, padroeira do Brasil.

Em setembro de 2007 viajou à Áustria, onde passou por Viena e pelo santuário mariano de Mariazell.

Em abril de 2008, voltou a atravessar o Atlântico, para visitar Washington e Nova York e pronunciar um discurso na ONU. Três meses mais tarde, foi à Austrália, onde presidiu em Sydney a 23ª Jornada Mundial da Juventude.

Em setembro de 2008 viajou para Paris, primeira etapa de sua visita à França, onde esteve também no santuário mariano de Lourdes para participar do 150º aniversário das aparições marianas.

Em março de 2009 efetuou sua primeira viagem à África, visitando Camarões e Angola. Dois meses depois, chegou à Terra Santa: Jordânia, Israel e os territórios palestinos, com parada no Monte Nebo, Amã, Jerusalém, Nazaré e Belém.

Ainda em 2009, em setembro foi à República Tcheca. Esteve na capital Praga e nas cidades de Brno e Stara Boleslav.

Em 17 e 18 de abril de 2010 foi a Malta, na primeira viagem fora da Itália no ano. Sua agenda de 2010 prevê viagens a Portugal (maio), Chipre (junho), Reino Unido (setembro) e Espanha (novembro).

Nesses cinco anos de Pontificado, Bento XVI publicou três encíclicas: "Deus caritas est" (Deus é amor), de 2006; "Spe salvi" (Salvos na esperança), de 2007, e "Caritas in veritate" (Caridade na verdade), de 2009, com forte caráter social.

Em "Deus Caritas est" ressalta que a Igreja não é contrária ao eros, mas ao contrário o considera um componente do amor que alcança sua máxima amplitude na entrega.

Já em "Spe salvi" oferece um horizonte de esperança à humanidade, afirmando que a vida não acaba no vazio, que o marxismo deixou uma destruição desoladora e que haverá um julgamento de Deus, "que é nosso consolo e esperança".

Com "Caritas in veritate", Bento XVI pediu a reforma urgente da ONU e da arquitetura econômica e financeira internacional e pediu uma "verdadeira" autoridade política mundial, que tenha poder e se atenha "aos princípios da solidariedade".

Também nos últimos cinco anos, escreveu "Jesus de Nazaré", seu primeiro livro como papa. Bento XVI já proclamou 573 beatos, em sua maioria espanhóis, e 28 santos.

Até agora, o papa Ratzinger realizou sete cerimônias de canonizações, uma delas no Brasil, em maio de 2007, e as demais no Vaticano.

Bento XVI retomou no princípio do Pontificado o costume de presidir apenas canonizações, enquanto as beatificações são realizadas pelo governador regional da Congregação para a Causa dos Santos, normalmente no local onde viveu o beato. EFE JL/fm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG