terremoto de 7 graus devastou a capital do país, Porto Príncipe." / terremoto de 7 graus devastou a capital do país, Porto Príncipe." /

Brasil envia missão ao Haiti e define cinco pontos emergenciais de ajuda

Uma aeronave da Força Aérea Brasileira com 13 toneladas de suprimentos chegou na manhã desta quinta-feira ao Haiti, onde um http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2010/01/13/terremoto+de+7+graus+provoca+mortes+e+destruicao+na+capital+do+haiti+9273080.html target=_topterremoto de 7 graus devastou a capital do país, Porto Príncipe.

Camila Nascimento, iG São Paulo |

  • Veja fotos da destruição após terremoto no Haiti
  • Após a tragédia, solidariedade reúne diversos países
  • Haiti vive cenas de destruição e desespero; assista
  • Veja as principais notícias sobre o terremoto no Haiti

    AE
    Missão brasileira segue para o Haiti

    Missão brasileira segue do Rio de Janeiro para o Haiti

    Missão brasileira

    Na quarta-feira, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, chegou ao Haiti para acompanhar de perto a situação no país. A missão brasileira identificou cinco pontos emergenciais: enterro dos mortos, socorro médico aos feridos, remoção de destroços, reforço da segurança nas operações e distribuição de suprimentos, principalmente água e comida.

    De acordo com o Ministério da Defesa, 15 engenheiros serão enviados ao Haiti para reforçar o Batalhão de Engenharia do Exército, que também vai receber equipamentos pesados da construtora OAS, que realiza obras no país, para auxiliar na retirada dos escombros e desobstrução das ruas, principalmente para garantir o acesso da ajuda humanitária e serviços de resgate.

    Os engenheiros brasileiros também ajudarão no sepultamento dos corpos. A grande quantidade de mortos espalhados pelas ruas preocupa as autoridades pelo risco de epidemias e contaminação. O governo brasileiro vai sugerir às autoridades haitianas a indicação de um local para construção de um cemitério.

    As tropas brasileiras ainda deverão atuar no reforço da segurança de comboios de ajuda humanitária e hospitais de campanha, para evitar saques e invasões.


    Jobim chegou na noite de quarta-feira ao Haiti / Agência Brasil

    Com Jobim viajaram o comandante da Marinha, Almirante Júlio Soares de Moura Neto, o Comandante do Exército, General Enzo Martins Pery, o senador Flávio Arns (PSDB-PR), sobrinho de Zilda Arns, coordenadora da Pastoral da Criança, que morreu no terremoto, o secretário executivo da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Rogério Sotilli e representantes do Ministério da Saúde, do Ministério das Relações Exteriores e da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

    O goveno brasileiro montará ainda um hospital de campanha no país caribenho para ajudar no atendimento de feridos. Cerca de 40 pessoas, entre médicos da Aeronáutica e voluntários, já estão a postos no Brasil para embarcar ao Haiti. Os três principais hospitais da cidade ruiram com o terremoto. Pacientes, médicos e enfermeiros foram soterrados.

    Por volta das 12h20 desta quinta-feira, um outro avião da FAB seguiupara a capital haitiana levando profissionais da Defesa Civil do Rio de Janeiro e cães farejadores para ajudar nas buscas por sobreviventes e corpos. Também serão levados alimentos, remédios e água.

    Reuters
    Cenário no Haiti é de destruição

    Pessoas passam a noite nas ruas

    Ajuda de US$ 15 milhões

    Na quarta-feira, o Brasil anunciou uma ajuda de US$ 15 milhões. Além disso, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em conversa por telefone com o presidente dos EUA, Barack Obama, propôs uma reunião do grupo de países empenhados em ajudar na reconstrução do Haiti, devastado por um forte terremoto.

    "Propus ao presidente Obama que o Brasil está disposto a participar, junto com os EUA e a ONU, na coordenação de uma reunião dos países doadores, para que a gente possa agilizar logo o que seja necessário de recursos para recuperar o Haiti", afirmou Lula a jornalistas após conversar com Obama. Não foram fornecidos mais detalhes sobre a reunião.

    Outros países

    Os primeiros aviões com ajuda, provenientes da Venezuela, da China e dos Estados Unidos , começaram a desembarcar no aeroporto de Porto Príncipe na noite desta quarta-feira.

    Equipes de outros países como Grã-Bretanha, França, Dinamarca, Cuba, México, entre outros, devem chegar à capital nesta quinta-feira.

    A estimativa da Cruz Vermelha Internacional é de que 3 milhões de pessoas tenham sido atingidas pelo terremoto. As autoridades locais e a Oragnização das Nações Unidas calculam em 100 mil o número de mortos na tragédia.

    (*com informações da Reuters e Agência Brasil)

    Leia também:

    Leia mais sobre terremoto

    • Leia tudo sobre: haiti

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG