Brasil envia aviões com alimentos e estuda mais tropas no Haiti

O governo brasileiro deve enviar até a quinta-feira dois aviões com um total de 28 toneladas de alimentos e água para as vítimas do terremoto da terça-feira no Haiti, informou a Agência Brasil. Em uma nota, a FAB (Força Aérea Brasileira) disse ter disponibilizado um total de oito aviões para ajudar as vítimas do sismo, que teria matado centenas no país caribenho.

BBC Brasil |

Além dos aviões, o Brasil também deve enviar ao país uma ajuda no valor de US$ 10 milhões. Mas, segundo o Ministério das Relações Exteriores, ainda não está decidido como exatamente o dinheiro será usado.

Nesta quarta-feira, o Comando do Exército informou que o Ministério da Defesa está estudando mandar mais solados para reforçar as tropas brasileiras já atuando na Missão de Paz da ONU no Haiti (Minustah, na sigla em francês).

Segundo o general Carlos Alberto Neiva Barcellos, chefe de Comunicação do Exército, um dos maiores obstáculos agora é o excesso de escombros pelas ruas de Porto Príncipe, que estão inviabilizando o deslocamento de veículos.

Em massa
O general Neiva disse ainda que a população civil haitiana tem se deslocado "em massa" em direção à base do Comando do Batalhão brasileiro, que foi menos atingida pelos abalos.

Segundo ele, essas pessoas estão procurando socorro e auxílio no resgate dos feridos.

A maior parte dos 1.266 militares brasileiros que atuam no Haiti estava na base na hora do tremor.

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, embarca ainda nesta quarta-feira para o Haiti em um avião da FAB, acompanhado pelo embaixador brasileiro no país, Ygor Kipman, que estava no Brasil quando ocorreu o tremor.

O Comando do Exército informou também que o rodízio das tropas brasileiras que acontece a cada seis meses foi suspenso temporariamente, sem previsão de quando será retomado.

Na terça-feira, antes do terremoto, um avião com 130 militares que iriam render outros que atuavam no Haiti teve de retornar a Brasília, pois não encontrou condições de pouso no país.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG