O primeiro avião brasileiro que levará mantimentos e medicamentos para as vítimas do terremoto no Haiti deve partir do Rio de Janeiro com destino a Porto Príncipe, capital do país atingido pelos tremores, entre 21h e 22h. Outra aeronave deve partir nesta quinta-feira.

De acordo com a Aeronáutica, o avião Hercules C130 partirá com 12 toneladas de suprimentos, sendo 8,7 tonelada de alimentos, 300 kg de medicamentos e 3 toneladas alimentos não perecíveis. A tripulação desse voo conta com 12 pessoas.

AE

Ajuda humanitária do governo brasileiro na Base Aérea do Galeão, no Rio

A previsão de duração do tempo de viagem até o Haiti é de 14 horas. Serão 7 horas até Boa Vista, em Roraima, onde deve ficar reabastecendo por 2 horas, e mais 5 horas até Porto Príncipe.

A segunda aeronave da FAB deve partir nesta quinta-feira, em horário a ser confirmado, levando a bordo profissionais da Defesa Civil do Rio de Janeiro e cães farejadores, além de equipamentos e suprimentos (alimentos, remédios e água).

Além desses aviões para levar suprimentos, a FAB tem a disposição, em Manaus, quatro aviões espanhóis de pequeno porte C105 que poderão auxiliar no resgate de pessoas.

A FAB também esclareceu que na terça-feira, um outro avião brasileiro, um Boeing 707 que levaria um novo contingente de militares que atuariam na missão de paz no Haiti, não conseguiu pousar no aeroporto de Porto Príncipe por ser muito grande.

"Esse avião (Hercules) vai conseguir pousar porque ele é menor. Como ele é de hélice, e não a jato, ele consegue pousar em pistas menores", explicou o tenente coronel da Aeronáutica, Mendes Ribeiro.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) também já colocou à disposição 14 toneladas de alimentos (açúcar, leite em pó, sardinha e fiambre) para as vítimas do terremoto.

A avaliação do Ministério da Defesa e das Forças Armadas é que não há condições, no momento, de organizar doações de alimentos, água, roupas ou outros materiais arrecadados por terceiros e nem de armazená-los e distribuí-los no Haiti. O governo ainda não tem uma avaliação precisa das reais necessidades da população haitiana e é preciso aguardar o momento oportuno para organizar e, eventualmente, despachar as doações encaminhadas por terceiros.

Leia também:

Leia mais sobre terremoto

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.