Buenos Aires, 15 dez (EFE).- O Brasil é o país da América Latina que concentra a maior quantidade de indígenas, com um total de 247 povos diferentes, segundo o primeiro Atlas sociolingüístico da região, efetuado por uma fundação patrocinada pela Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), informa hoje a imprensa argentina.

O estudo, que compreende 21 países e foi realizado pelo Programa de Formação em Educação Intercultural Bilíngüe para os Países Andinos, revela ainda que na América Latina existem cerca de 522 povos indígenas que falam 420 línguas.

El Salvador, com três povos diferentes, é o país que possui a menor quantidade de indígenas na região.

Segundo os autores da pesquisa, seu objetivo é "contribuir para a visualização de uma condição inerente à região que precisa ser levada em conta para superar as situações de desigualdade".

"Queremos dar ênfase à atualidade, não à questão histórica, que permita dizer algo que foi grande, mas já não é", disse a responsável pelo Atlas, a especialista em lingüística austríaca Inge Sichra, para quem o objetivo "é demonstrar a presença das línguas".

O estudo, no qual 30 especialistas trabalharam durante 14 meses a partir de dados de censos efetuados em todos os países da região, também permitiu descobrir que em muitos países várias línguas que continuam a ser faladas eram dadas por extintas.

Outro dado incluído no Atlas é que na América Latina há aproximadamente 40 milhões de indígenas, o que equivale a 10% do total de habitantes da região. EFE hd/ab/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.