Brasil e Espanha despontam como favoritos para comando da FAO

Candidato de Lula e Dilma para vaga, José Graziano tem como principal adversário espanhol Miguel Ángel Moratinos

iG São Paulo |

Os seis candidatos a diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) discursarão nesta tarde na 37ª Conferência bienal da organização para resumir seus programas às vésperas da votação neste domingo. A eleição ocorrerá a partir das 10h30 no horário (5h30 de Brasília) com votação secreta dos 191 países-membros da organização. O vencedor tomará posse do cargo 1º de janeiro de 2012.

AE
José Graziano esteve por trás da criação do Fome Zero
Depois de intensa articulação comandada pelo governo brasileiro, o País larga entre os favoritos da disputa, ao lado da Espanha. Os candidatos mais fortes, segundo fontes da FAO, são o especialista brasileiro em segurança alimentar, José Graziano da Silva, atual subdiretor do organismo, e o ex-ministro de Relações Exteriores espanhol, Miguel Ángel Moratinos.

Moratinos foi nomeado em 1987 subdiretor-geral para a África do Norte. Quatro anos depois, assumiu como diretor do Instituto de Cooperação com o Mundo Árabe (ICMA). Em 1996 foi enviado especial da União Europeia para o Oriente Médio pelos ministros de Relações Exteriores da UE e, em 2004, foi nomeado ministro de Relações Exteriores da Espanha, cargo que exerceu até outubro de 2010. O ex-ministro espanhol disse na sexta-feira que seu trunfo é o perfil diferenciado na comparação com os rivais porque vem "do setor político e diplomático".

Já Graziano dedicou-se desde 1977 a questões relacionadas ao desenvolvimento rural e à luta contra a fome. Em 2001, coordenou a criação do programa "Fome Zero", promessa de campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , tendo assumido em 2003 o posto de ministro extraordinário para a Segurança Alimentar e Luta contra a Fome.  Em março de 2006, Graziano foi nomeado representante regional da FAO para a América Latina e Caribe e subdiretor-general da organização.

Nos últimos meses, tanto Lula como a presidenta Dilma Rousseff envolveram-se pessoalmente na campanha para eleger Graziano no comando da FAO. Neste mês, Lula chegou a escrever um artigo no jornal britânico The Guardian , alegando que a indicação de Graziano reafirma o compromisso brasileiro com uma política internacional de combate à fome. Com o endosso, Lula resistiu às pressões para que ele próprio se candidatasse à vaga.

Os outros candidatos são o político austríaco Franz Fischler, o indonésio Indroyono Soesilo, o iraniano Mohammad Saeid Noori Naeini e o iraquiano Abdul-Latif Rashid.

*Com informações da EFE e Agência Estado

    Leia tudo sobre: FAOeleiçãojosé grazianoONU

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG