Brasil e Colômbia fortalecem cooperação sobre combustíveis

Cartagena (Colômbia), 8 jun (EFE).- Brasil e Colômbia decidiram hoje, ao fim da 1ª Reunião da Comissão Bilateral colombo-brasileira, fortalecer a cooperação bilateral entre os países em matéria de combustíveis e trabalhar para ter uma relação direta mais intensa que permita uma maior integração entre os Estados.

EFE |

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou ao fim de uma visita de dois dias a Cartagena de Indias que para o Brasil é importante a integração da América do Sul, não só vista a partir das arestas econômicas e políticas, mas também de uma perspectiva mais humana.

"Para nós sempre foi uma grande prioridade ter a Colômbia muito envolvida na integração sul-americana. O Governo do presidente (Luiz Inácio) Lula deu muita ênfase à integração porque fazemos parte de uma mesma região", disse o chanceler em entrevista.

Amorim lembrou que houve um forte crescimento das exportações colombianas ao Brasil, mas ainda se mantém uma "desproporção muito grande" no comércio bilateral, a qual o país tenta compensar com o investimento de capitais brasileiros em projetos de infraestrutura, industriais e agroindustriais.

Além disso, os países fortaleceram a cooperação em áreas culturais, de cooperação técnica, ciência e tecnologia, em temas da Amazônia, turismo e alguns sobre os países vizinhos.

"Não podem países como Brasil e Colômbia ficar de costas um para o outro como aconteceu por séculos. Estamos dando mais um passo para que Brasil e Colômbia tenham uma relação direta mais intensa", acrescentou.

O chanceler lembrou que o Brasil participou fornecendo logística para a libertação de seis reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) no começo do ano.

"Se houver alguma outra situação na qual o Brasil possa ajudar estaremos prontos a fazê-lo, mas sempre em consulta com o Governo colombiano", acrescentou.

Amorim será condecorado esta noite no Palácio de San Carlos de Bogotá (sede da Chancelaria) com a Grande Cruz de Boyacá, entregue aos oficiais que se destacaram por seus serviços, para os cidadãos eminentes e para os indivíduos de países amigos da Colômbia.

Depois, manterá uma reunião com o presidente colombiano, Álvaro Uribe, e encerrará sua visita de dois dias à Colômbia. EFE rcm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG