Santiago do Chile, 3 abr (EFE).- Brasil e Chile elaborarão uma agenda de trabalho para incentivar o comércio de serviços e iniciarão as conversas para criar um protocolo de investimentos entre os dois países, informaram hoje fontes oficiais.

Estes foram os compromissos assumidos hoje em Santiago pelas delegações de ambos os países na reunião preparatória da 5ª Comissão Bilateral de Comércio entre Chile e Brasil.

O encontro foi presidido pelo secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Welber Barral, e pelo diretor de assuntos econômicos bilaterais da Direção Geral de Relações Econômicas Internacionais do Chile, Andrés Rebolledo.

"Depois de fechar as negociações sobre serviços com o Mercosul no ano passado, o passo seguinte é a criação de instâncias de trabalho que permitam a promoção e ampliação do comércio deste setor", afirmou Rebolledo.

O chileno disse que os países pretendem trabalhar em uma agenda conjunta que permita "identificar novos setores e incentivar o comércio, sem deixar de lado a importância da participação dos setores privados nesta tarefa".

Este aprofundamento das relações comerciais, que faz parte do Acordo de Complementação Econômica entre Mercosul e Chile vigente desde 2006, prevê a incorporação de um protocolo de investimentos para aumentar o comércio na região.

"Outro ponto de grande interesse para o Chile é a pronta incorporação de um protocolo de zonas francas ao Mercosul, o que começaria a ser implantado em primeira instância com o Brasil ", destacou Rebolledo.

Paralelamente à reunião das delegações, foi realizada hoje a terceira edição do encontro empresarial "Chile País Plataforma", organizado pela Sociedade de Incentivo Industrial chilena (Sofofa, em espanhol) e pela Federação de Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O encontro foi aberto por Welber Barral e pelo ministro da Economia chileno, Hugo Lavados. Ambos destacaram a importância da integração comercial e a conveniência de utilizar o Chile como uma plataforma de exportação e investimentos.

O Brasil é o principal parceiro comercial do Chile na América Latina e o quinto destino das exportações chilenas em nível mundial.

EFE gs/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.