Brasil e África do Sul defendem diálogo com Irã, diz embaixador

BRASÍLIA (Reuters) - Brasil e África do Sul concordaram nesta quinta-feira que a comunidade internacional deve explorar ao máximo o diálogo para se chegar a um entendimento com o Irã sobre o programa nuclear desenvolvido pela República Islâmica, afirmou o embaixador Piragibe Tarragô, subsecretário político do Ministério das Relações Exteriores. Ele esteve presente na reunião entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu colega sul-africano, Jacob Zuma, encontro ocorrido à margem da cúpula do grupo Ibas (Índia, Brasil e África do Sul).

Reuters |

"Há uma completa sintonia entre as posições dos dois países. A África do Sul também acha que é preciso esgotar todas as possibilidades de diálogo e negociação para se chegar a um entendimento", disse o diplomata a jornalistas.

Potências ocidentais, lideradas pelos EUA, têm pressionado para que seja aprovada uma nova resolução da ONU com sanções ao Irã por seu programa nuclear. Esses países alegam que a República Islâmica tenta produzir armas nucleares, o que o governo de Mahmoud Ahmadinejad nega. O Brasil, no entanto, defende o direito do Irã a produzir energia nuclear com fins pacíficos.

"Reafirmaram que também o Irã deve ser mais transparente e mostrar a todos que seu processo é para fins pacíficos. Tem que deixar isso mais claro, inclusive na Agência Internacional de Energia Atômica."

Segundo o embaixador, os dois presidentes acertaram ainda atuar mais ativamente nas discussões sobre o processo de paz entre Israel e Palestinos, ter uma maior coordenação nos debates realizados no âmbito do G-20 e trabalhar pela reforma do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

O comércio bilateral, que diminuiu no ano passado devido à crise financeira internacional, também foi tema da reunião.

"Os dois presidentes concordaram que o comércio precisa ser mais desenvolvido", disse ele. "O presidente Zuma citou barreiras não tarifárias que poderiam ser discutidas e eliminadas."

Outro ponto da pauta foi o avanço na cooperação nas áreas de defesa, ciência e tecnologia e agricultura. O presidente Lula visita a África do Sul em julho.

(Reportagem de Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG