Brasil doará US$ 10 milhões para reconstrução da Faixa de Gaza

BRASÍLIA - O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, anunciou nesta segunda-feira que o Brasil destinará US$ 10 milhões à reconstrução da Faixa de Gaza. O anúncio foi feito durante a Conferência para a Reconstrução da Faixa de Gaza, em Sharm El-Sheik, no Egito. As informações são da assessoria de imprensa do Itamaraty.

Redação com agências |


Clique para ver o infográfico


A contribuição ainda depende de aprovação do Congresso Nacional, como exige a legislação brasileira. Em entrevista concedida à Rádio França Internacional, o ministro disse que há notícias positivas sobre um começo de entendimento entre as facções palestinas, o que é essencial para a paz na região e para a construção de uma solução com Israel.

Continuamos apoiando uma solução entre os dois Estados. Esperamos que o governo de Israel mantenha e fortaleça a sua ação no processo de paz, destacou o chanceler.

O embaixador brasileiro em Israel, Pedro Motta, afirmou que o valor é alto, considerando que o Brasil é "pobre e em desenvolvimento".

"O Brasil nunca foi um país doador, e esse caso representa uma mudança na nossa atitude, pois queremos contribuir para o alívio da situação humanitária e para a reconstrução da Faixa de Gaza."

"Estamos fazendo um grande esforço para fazer uma contribuição significativa, e essa soma equivale à nossa doação anterior aos palestinos, na Conferência de Paris, em dezembro de 2007", acrescentou o embaixador.

Reuters
Palestinos sentam em meio aos destroços de sua casa

Mulheres palestinas sentam em meio aos destroços de sua casa

Segundo o diplomata brasileiro, os US$ 10 milhões doados pelo país em 2007 foram destinados a projetos elaborados pela Autoridade Palestina, que já foram aprovados, mas ainda não foram colocados em prática. A ajuda prevê a construção de escolas, laboratórios de hospitais e instalações esportivas.

Parte da doação de 2007 seria destinada à cooperação entre o Brasil e a Autoridade Palestina na área de desenvolvimento agrícola. Segundo o embaixador Pedro Motta, os projetos devem ser executados em breve.

Reformas

A secretária norte-americana de Estado, Hillary Clinton, deve prometer US$ 300 milhões para a reconstrução de Gaza e US$ 600 milhões para cobrir déficits orçamentários da Autoridade Palestina, promover reformas econômicas, melhorar a segurança e apoiar projetos da iniciativa privada que sejam administrados pela Autoridade Palestina.

Reuters
Hillary ouve discurso do presidente do Egito
Hillary Clinton ouve discurso do
presidente egípcio, Hosni Mubarak

Ela foi enfática no sentido de que a verba, a ser aprovada pelo Congresso dos EUA, não pode ir para o Hamas.

"Temos trabalhado com a Autoridade Palestina para instalar salvaguardas que irão garantir que nossa verba só seja usada onde e para quem se destina, e não termine em mãos erradas", disse ela.

A Comissão Europeia (Poder Executivo da União Europeia) anunciou na semana passada a intenção de doar 436 milhões de euros (552,6 milhões de dólares), também destinados à reconstrução de Gaza e a reformas na Autoridade Palestina.

Países árabes do golfo Pérsico pretendem destinar US$ 1,65 bilhão deem ajuda a Gaza ao longo de cinco anos. Eles disseram que outros países árabes poderão aderir ao plano.

Não está claro ainda se Israel abrirá as fronteiras para a passagem de enormes quantidades de material necessário para a reconstrução, como cimento e aço. Israel rejeita a entrada de materiais que supostamente poderiam ser usados na produção de foguetes dos militantes.

"O dinheiro é importantíssimo, mas não irá resolver o problema se não houver pressão da comunidade internacional sobre Israel para abrir todos os acessos a Gaza", disse Gasser Abdel-Razek, porta-voz da ONG Oxfam International.

(Com informações da Reuters, da BBC e da Agência Brasil)

Leia mais sobre Faixa de Gaza

    Leia tudo sobre: faixa de gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG