Brasil, Bolívia e Peru reforçam controle na fronteira para deter traficantes

La Paz, 20 mai (EFE).- Os Governos de Brasil, Bolívia e Peru aumentarão o controle policial na fronteira para frear a violência gerada por um conflito entre narcotraficantes na cidade boliviana de Cobija, que deixou 13 mortos este ano, afirmaram hoje fontes oficiais.

EFE |

O vice-ministro de Segurança Cidadã boliviano, Alberto Castillo, disse à rede de televisão "PAT" que o ministro do Governo da Bolívia, Alfredo Rada, e o titular do Interior do Peru, Luis Alva Castro, concordaram em trabalhar em "uma estratégia de caráter integral" para frear as atividades de traficantes na região.

Em uma conversa recente por telefone, os dois ministros determinaram o "fortalecimento de operações na linha fronteiriça" do departamento boliviano de Pando, disse Castillo.

Segundo a fonte, as 13 vítimas deste ano são produto de "vinganças" entre traficantes bolivianos, peruanos e brasileiros que se enfrentam por causa de roubos de drogas enquanto são trazidas da Bolívia para o Brasil.

O comandante da Polícia de Pando, coronel Oscar Nina, confirmou que mais agentes chegarão à região nos próximos dias, mas não disse quantos.

Também em breve, Rada conversará com o ministro da Defesa Nelson Jobim para coordenar as operações antinarcóticos. O ministro brasileiro anunciou ontem em La Paz o envio de mais agentes para a região.

"Aumentaremos o efetivo da Polícia Federal, que é uma questão de segurança", disse Jobim, que visitou La Paz para apresentar ao presidente da Bolívia, Evo Morales, o projeto brasileiro de criar um Conselho Sul-americano de Defesa.

Segundo a imprensa local, os mortos por causa dos conflitos em Cobija já somam 30 desde o ano passado, embora esse número possa ser muito maior, pois se suspeita que haja centenas de corpos de narcotraficantes assassinados nas trilhas próximas à fronteira com o Brasil e o Peru. EFE ja/wr/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG