Brasil, Argentina e Venezuela aumentam verbas para o Banco do Sul

Porlamar (Venezuela), 27 set (EFE).- Brasil, Argentina e Venezuela elevaram para US$ 4 bilhões suas verbas fornecidas ao Banco do Sul, cuja ata constitutiva foi assinada no último sábado por sete governantes sul-americanos, informou hoje o presidente venezuelano, Hugo Chávez.

EFE |

Chávez anunciou durante um de seus discursos na segunda Cúpula América do Sul-África (ASA), que termina hoje na ilha venezuelana de Margarita, que Argentina, Brasil e Venezuela fornecerão "US$ 4 bilhões" cada um para o capital da nova entidade financeira.

Os outros países acionistas, Bolívia, Equador, Paraguai, e Uruguai, darão suas contribuições "em proporções distintas", acrescentou o presidente venezuelano, sem mais detalhes.

Segundo um documento oficial entregue ontem à noite à imprensa na cúpula, Argentina, Brasil e Venezuela forneceriam cada um US$ 2 bilhões ao capital do Banco do Sul.

Ainda de acordo com o texto oficial, Equador e Uruguai forneceriam US$ 400 milhões cada um, e Bolívia e Paraguai, US$ 100 milhões cada.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacou que o acordo para a constituição definitiva do Banco do Sul foi alcançado após quase três anos de negociações.

"O Banco do Sul levou três anos e não sabemos quanto tempo vai levar para ratificá-lo nos Congressos" de cada um dos países signatários, declarou Lula, ao falar das dificuldades que devem ser superadas para concretizar a integração regional.

O Banco do Sul terá sua sede principal na capital da Venezuela, Caracas, e contará com subsedes em Buenos Aires e La Paz. EFE gf/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG