Brasil apresentará metas de redução de gases poluentes em Copenhague

RIO DE JANEIRO - O Brasil vai apresentar metas quantitativas concretas para a redução de emissões de gases poluentes e exigirá o mesmo dos países ricos na Conferência sobre Mudança Climática das Nações Unidas em Copenhague, disse hoje o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim.

Redação com agências internacionais |

"Copenhague não será uma partida de pôquer. O Brasil não vai se esconder atrás de ninguém, nem ninguém vai poder se esconder atrás do Brasil", afirmou Amorim em entrevista coletiva com correspondentes internacionais no Rio de Janeiro.

Segundo o chanceler, o Brasil vai assumir perante a comunidade internacional "objetivos quantitativos bem claros", como a redução do desmatamento da Amazônia em 70% até 2017, uma meta já incluída no Plano de Mudanças Climáticas apresentado pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em dezembro do ano passado.

Se o Brasil cumprir esse objetivo, voltará às taxas de destruição da floresta registradas entre 1996 e 2005, em torno de 5 mil quilômetros quadrados ao ano.

Amorim lembrou que o desmatamento é a principal fonte de emissões de gás carbônico no Brasil e disse que a Amazônia "será uma das maiores vítimas" do aquecimento global.

A respeito de outros países, o titular de Exteriores assegurou que a posição do Brasil "não será inocente", por isso que "exigirá" que os países ricos também assumam "metas reais" e concretas para reduzir suas emissões.

"Nossos negociadores não podem ter uma posição idealista enquanto os outros países querem proteger suas indústrias, adotar medidas protecionistas, procurar manter suas matrizes energéticas tradicionais e um modelo econômico baseado no carvão", considerou.

Na mesma linha, Amorim criticou que os países ricos se defendam nos mecanismos de compensação de emissões para "continuar comprando o direito de destruir a atmosfera", em vez de assumir objetivos para reduzir as emissões.

Alertou que se esta situação for mantida, se chegará a uma "equação impossível" na qual os países pobres teriam que reduzir suas emissões em uma proporção muito maior para alcançar os objetivos globais.

A Conferência sobre Mudança Climática das Nações Unidas se realizará na capital da Dinamarca entre os dias 8 e 17 de dezembro e tentará conseguir um novo acordo mundial sobre redução de emissões de gases poluentes que substitua o Protocolo de Kioto, de 1997, que deixará de estar em vigor em 2012.

Leia mais sobre Conferência sobre Mudança Climática

    Leia tudo sobre: acordo climático

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG