Brasil ajudou a fraudar eleição uruguaia de 1971, segundo Nixon

O regime militar brasileiro ajudou a fraudar a eleição presidencial de 1971 no Uruguai, vencida pelo Partido Colorado e questionada pelo Partido Nacional (Blanco), revelam arquivos do governo americano, que citam o presidente Richard Nixon (1968-1974).

AFP |

"Os brasileiros ajudaram a arranjar a eleição uruguaia", disse Nixon ao primeiro-ministro britânico Edward Heath nas Bermudas, no dia 20 de dezembro de 1971, segundo um memorando da Casa Branca divulgado nesta segunda-feira pela organização não-governamental National Security Archives (NSA).

As eleições, realizadas em novembro de 1971, foram vencidas pelo Partido Colorado com 41% dos votos, com uma vantagem de apenas 12 mil votos sobre o Partido Nacional, também conhecido por Partido Blanco.

A conversa de Nixon com Heath ocorreu em plena Guerra Fria e girou em torno da suposta ameaça comunista na América do Sul, com o apoio da Cuba castrista.

A suposta fraude e a ajuda concedida pelo governo brasileiro, liderado por Emílio Garrastazu Médici, não são explicadas por Nixon, mas duas semanas antes os dois líderes haviam se reunido na Casa Branca.

No encontro, o general Médici garantiu a Nixon sua disposição de combater, de forma ativa, o comunismo no Cone Sul.

Em outro documento, Nixon diz a seu secretário de Estado, William Rogers: "incidentalmente, no assunto uruguaio, ao que parece (Garrastazu Médici) ajudou um pouco lá".

Outros documentos, já divulgados graças à NSA, revelam como a embaixada americana em Montevidéu estava a par das relações entre os militares de Brasil, Argentina e Uruguai.

Na eleição de 1971, o Partido Colorado, no poder, concorreu com Juan Bordaberry, que assumiu em março de 1972 e deu um golpe de Estado em 1973, apoiado pelos militares.

Bordaberry seguiu como presidente de fato até 1976, e o regime militar no Uruguai se manteve até 1985.

O candidato do Partido Blanco era o caudilho Wilson Ferreira Aldunate, que se exilou com o golpe de Estado, voltando ao país apenas em 1984.

Após a eleição de 1971, o Partido Blanco apresentou um recurso formal sobre diversas irregularidades no processo, que a Justiça Eleitoral ignorou.

Leia mais sobre regime militar

    Leia tudo sobre: brasileleiçõeseuaregime militaruruguai

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG