Braço armado do Hamas reitera compromisso com trégua iniciada hoje

Gaza, 19 jun (EFE).- As Brigadas Ezzedine al-Qassam, braço armado do movimento islamita Hamas, expressaram hoje seu compromisso com a trégua estipulada com Israel na Faixa de Gaza, que teve início às 6h no horário local (24h de Brasília).

EFE |

A milícia do Hamas assegurou, em comunicado distribuído aos jornalistas ao início do cessar-fogo, que está "comprometida com esta trégua", mas que esta "não representa um presente" para Israel.

"Este acordo traz um período necessário para aliviar o sofrimento de nossa gente. Esta trégua não é um presente gratuito às forças de ocupação", acrescenta na nota, na qual se assegura que a milícia se "vingará com dureza no caso de Israel violar a trégua".

"Estamos preparados para dar um golpe militar que faça tremer a entidade israelense caso a ocupação não mostre um compromisso com os termos da trégua", adverte a milícia na mensagem.

O acordo para a interrupção das hostilidades foi firmado esta semana, com a mediação do Egito, e deverá ter duração de seis meses.

Israel não divulgou oficialmente os compromissos assumidos, mas os palestinos indicaram que os termos do pacto exigem a cessação dos ataques de todas as milícias, assim como a contenção das operações israelenses, o fim do bloqueio imposto à Faixa de Gaza e a reabertura progressiva dos postos fronteiriços.

A trégua não inclui a libertação do soldado israelense Gilad Shalit, capturado há dois anos por milícias palestinas na fronteira com Gaza, que será negociada mais adiante, no marco de um acordo de troca de prisioneiros.

"O soldado israelense não verá a luz até que a vejam nossos presos nas prisões da ocupação israelense", disse hoje o grupo.

O porta-voz do Hamas em Gaza, Sami Abu Zuhri, também mostrou esta manhã a intenção de seu grupo de fazer cumprir o cessar-fogo.

"Trabalharemos para que a trégua tenha êxito. Agora a bola está no telhado de Israel, para conseguir que o acordo de trégua se transfira ao terreno", declarou.

A Jihad Islâmica e outras milícias palestinas em Gaza também asseguraram que cumprirão a trégua, em panfletos distribuídos esta manhã, que também advertem para a possibilidade de "duras represálias" caso Israel descumpra sua parte no acordo. EFE sar/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG