A companhia British Petroleum (BP), que explora a plataforma Deepwater que provocou uma imensa mancha negra, anunciou ter começado a perfurar um poço de emergência para tentar recuperar o petróleo que vaza no Golfo do México." /

A companhia British Petroleum (BP), que explora a plataforma Deepwater que provocou uma imensa mancha negra, anunciou ter começado a perfurar um poço de emergência para tentar recuperar o petróleo que vaza no Golfo do México." /

BP começa a perfurar poço de emergência para conter maré negra

A companhia British Petroleum (BP), que explora a plataforma Deepwater que provocou uma imensa mancha negra, anunciou ter começado a perfurar um poço de emergência para tentar recuperar o petróleo que vaza no Golfo do México.

AFP |

A companhia British Petroleum (BP), que explora a plataforma Deepwater que provocou uma imensa mancha negra, anunciou ter começado a perfurar um poço de emergência para tentar recuperar o petróleo que vaza no Golfo do México.

A BP calculou o custo dos trabalhos e das ações para tentar conter a maré negra em mais de seis milhões de dólares diários.

"Este custo aumenta à medida que os esforços se intensificam. Ainda é muito cedo para cifrar o conjunto do custo do acidente", assinalou, no entanto, o grupo.

Os trabalhos de perfuração do poço de emergência começaram no domingo 2 de maio, segundo um comunicado da BP.

A empresa também informou que "avança rapidamente na construção de uma tampa" para conter a base o vazamento de óleo.

A tampa de 70 toneladas deve ser colocada no fundo do oceano. Esta é a primeira das três tampas que serão instaladas sobre o ponto de vazamento para permitir recuperar o petróleo e aspirar o combustível com um navio de perfuração.

A BP calcula que diariamente escapam do poço 5.000 barris de petróleo, cifra confirmada pelas estimativas da National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA), a agência americana responsável pelo estudo dos oceanos e e da atmosfera.

Sobre as perfurações de emergência, o diretor-geral da BP, Tony Hayward, destacou em um comunicado que se trata de "outra etapa-chave de nosso trabalho para conter de maneira permanente a fuga de petróleo".

Estas perfurações, situadas a cerca de 1 km do poço Mississippi Canyon do bloco 252 (MC252), que apresenta um vazamento grave, deverão levar três meses.

A empresa petroleira indicou da mesma forma que "são feitos rápidos progressos para construir a cobertura de confinamento". Esta camada protetora de 70 toneladas deve ficar apoiada no fundo o oceano. É a primeira vez que tampas vão ser instaladas sobre os vazamentos para permitir recuperar o petróleo e aspirá-lo graças a um barco de perfuração.

Se as condições meteorológicas permitirem, a primeira tampa deverá começar a ser instalada em pouco mais de uma semana, segundo a petroleira.

A BP também procedeu a uma segunda injeção de substâncias dispersantes a fim de reduziro impacto ambiental do petróleo que está escapando. Esta nova técnica consiste em injetar o dispersante no momento em que ele se expande pela água, antes que suba à superfície.

A presssão de Washington se acentuou sobre a BP nos últimos dias.

"Que as coisas fiquem claras: a BP é responsável por este vazamento. A BP vai pagar", declarou o presidente Barack Obama no domingo à imprensa.

A BP anunciou na segunda-feira que vai desbloquear 25 milhões de dólares para os estados do país que serão afetados pela maré negra, e disse igualmente que assumi todos os custos necessários e adequados para limpeza.

A camada de petróleo, que até o momento se estende por mais de 200 km de extensão e 110 km de largura, ameaça neste momento quatro estados do sul dos Estados Unidos: Alabama, Louisiana, Mississipi e Flórida.

sde/fp/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG