Bósnia aprova reforma de sua polícia, como UE exige

A Câmara Baixa do Parlamento bósnio adotou nesta quinta-feira a reforma da polícia, reivindicada por Bruxelas há mais de dois anos, e que representa uma condição-chave para a aproximação da Bósnia com a União Européia.

AFP |

Os dois projetos de lei sobre essa reforma foram adotados por 22 votos a favor, 19 contra e uma abstenção.

A Câmara Alta do Parlamento bósnio deve se pronunciar, em breve, sobre essas mesmas leis, por uma questão de mera formalidade, informou uma fonte parlamentar.

Bruxelas fez desta reforma a principal condição para a assinatura de um acordo de estabilização e associação (ASA) com a Bósnia, primeiro passo do longo caminho para a integração completa ao bloco europeu.

Desde o final da guerra intercomunitária (1992-1995), a Bósnia está dividida em duas entidades, a Republika Srpska (sérvios) e a Federação Croato-Muçulmana, unidas por débeis instituições centrais. As duas entidades têm forças policiais próprias.

Bruxelas exigia a unificação imediata das estruturas policiais das duas entidades.

Segundo as leis adotadas, a Bósnia vai ter sete novas agências e instituições policiais em nível central, que vão entrar em operação um ano após a adoção da nova Constituição, que começará a ser discutida em breve.

Até então, a autonomia das polícias das entidades não será afetada.

sar/tt/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG