Bombeiros resgatam 60 sobreviventes de terremoto na Itália; mortos passam de 150

ROMA - Sessenta pessoas foram resgatadas com vida dos escombros na região de Abruzzo, centro da Itália, atingida por um terremoto nesta segunda-feira. O forte tremor deixou mais de 150 mortos e 1.500 feridos. De acordo com o jornal Corriere della Sera, cerca de 250 pessoas seguem desaparecidas e 100 mil estão desabrigadas.

Redação com agências internacionais |


O ministro do Interior, Roberto Maroni, afirmou que as equipes continuarão escavando sob os escombros "até ter a certeza de que não há mais ninguém com vida". As equipes de resgate trabalham há mais de 15 horas.

A Agência Efe informou que em L'Aquila, capital de Abruzzo, moradores que perderam suas casa fazem fila para entrar em alojamentos improvisados, onde a polícia e a Defesa Civil oferecem à população cobertores e tendas.

"Não havia meio de arriscarmos voltar para nossa casa, mesmo que ela esteja só levemente danificada", disse Gianni Festa, 41 anos, que levou a esposa e o filho de 8 anos para passar a noite em um campo de atletismo. "Eu também não me arriscaria num hotel", completou.

Em outro canto da cidade, dezenas de famílias se preparavam para passar a noite dentro de carros estacionados numa praça, diante de uma igreja.

"Foi um dia muito longo e duro", disse Piera Colucci, sentada dentro do carro, com sua família, em meio à escuridão. "Agora que estamos sentados aqui no nosso carro é que a ficha está começando a cair."

Boa parte dos monumentos artísticos de L'Aquila, que fica a a 110 quilômetros de Roma, foram parcialmente destruídos. Segundo a Defesa Civil, mais de 10 mil casas e edifícios foram danificados pelo terremoto, registrado às 3h30 locais (22h30 de Brasília, domingo). O tremor de 6,2 graus teve o epicentro a 8,8 km de profundidade.


O chefe de governo italiano Silvio Berlusconi classificou o ocorrido como "uma tragédia sem precedentes". "Temos muitas vítimas, muitos feridos e muitas casas derrubadas", afirmou.

Um telegrama em nome do papa Bento 16 foi enviado às autoridades religiosas de L'Aquila.  "O papa expressa sua dor às populações afetadas e oferece orações fervorosas pelas vítimas, em particular pelas crianças", afirma o documento.

Condolências

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que está em uma visita oficial a Turquia , também lamentou o ocorrido. "Queremos enviar nossas condolências às famílias e esperamos que seja possível enviar equipes de resgate", afirmou Obama ao lado do presidente turco, Abdullah Gul.

Em mensagem enviadas ao presidente da Itália, Giorgio Napolitano, e a Silvio Berlusconi, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva manifestou suas "mais sentidas condolências ao povo italiano, e principalmente às famílias das vítimas, pelas dolorosas perdas humanas devidas ao terremoto".


Epicentro do terremoto foi em L'Aquila, no centro da Itália


Clique para ver o infográfico

Leia também:

Leia mais sobre: terremoto




    Leia tudo sobre: terremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG