Bombeiros dizem que novo terremoto não causou vítimas fatais

ROMA - Bombeiros italianos disseram que, ao contrário do que informou a imprensa, um novo terremoto que atingiu a região central da Itália, nesta terça-feira, não causou vítimas fatais.

Redação com agências internacionais |


O segundo forte tremor abalou a cidade de L'Aquila às 17h45 GMT (12h45 de Brasília). Segundo o Instituto de Observação Geológica dos Estados Unidos (USGS), o novo terremoto teve intensidade de 5,6 graus na escala Richter, mas a confirmação oficial ainda não foi feita.

Segundo a agência EFE, o abalo causou a queda de partes da igreja das Almas Santas, cuja cúpula já estava danificada. Além disso, derrubou contêineres de água instalados na estação de trens da capital de Abruzzo.

Resgates continuam

Nesta terça-feira, as equipes de resgate começaram a demolir de forma coordenada os prédios sob risco de desabamento na cidade de L'Aquila, enquanto a Itália inteira aguarda para saber a identidade das pelo menos 228 vítimas fatais do terremoto que atingiu a região central do país na segunda-feira.

A publicação das listas de mortos, feridos e desaparecidos estava prevista para ser divulgada nesta tarde, mas a Defesa Civil se atrasou em fechá-la.

O número oficial de mortos, porém, foi atualizado, superando os 207 mortos que divulgados de manhã pelo primeiro-ministro Silvio Berlusconi, durante entrevista coletiva em L'Aquila, enquanto os trabalhos de remoção de escombros seguem em seu segundo dia.

Também nesta terça, as equipes de resgate encontraram os cadáveres dos quatro jovens que haviam desaparecido em uma residência estudantil da cidade.

"Estão mortos os quatro estudantes sob os escombros da Casa do Estudante. É uma tragédia", confirmou o reitor da Universidade de L'Aquila, Ferdinando di Orio.

O caso destes quatro jovens é um dos que mais chamou a atenção da Itália, que assiste consternada à tragédia enfrentada pelo país desde ontem, após o terremoto, de 5,8 graus na escala Richter, segundo o Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (INGV) da Itália, que assolou a região de Abruzzo.

"É um desastre sério. Agora nós devemos reconstruir e isso exigirá grandes quantias de dinheiro", disse o primeiro-ministro Silvio Berlusconi, cujo governo já enfrenta um alto déficit e uma grande dívida pública.

Berlusconi declarou emergência nacional e prometeu buscar centenas de milhares de euros do fundo de desastres da União Europeia.


Epicentro do terremoto foi em L'Aquila, no centro da Itália


Clique para ver o infográfico

Leia também:

Leia mais sobre: terremoto

* Com AFP, AP e EFE

    Leia tudo sobre: terremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG