Bombas explodem em embaixadas na capital da Grécia

Polícia destruiu dois pacotes suspeitos em aeroporto; na Alemanha, pacote-bomba endereçado a Angela Merkel foi desarmado

iG São Paulo |

Bombas explodiram nas Embaixadas da Suíça e da Rússia em Atenas, e vários outros pacotes suspeitos foram destruídos, disse a polícia grega nesta terça-feira. Pacotes suspeitos foram destruídos nas embaixadas búlgara e alemã, além de outro enviado para representação diplomática chilena, e outros no aeroporto internacional de Atenas. Na Alemanha, um pacote enviado à chanceler Angela Merkel foi destruído pela polícia local antes de chegar à chefe de governo alemã.

Segundo o porta-voz policial, Athanassios Kokalakis, uma "explosão ensurdecedora" foi ouvida depois que um objeto explosivo foi jogado no pátio da missão diplomática da Suíça. No aeroporto, os dois pacotes suspeitos encontrados no aeroporto internacional de Atenas continuam livros preparados especialmente para ocultar explosivos em seu interior. De acordo com a imprensa local, os embrulhos tinham como destinatários a organização policial Europol na Holanda e a Corte Europeia de Justiça, em Luxemburgo.

Na Alemanha, a polícia desarmou um pacote-bomba enviado à chanceler do país, Angela Merkel. De acordo com o porta-voz de Merkel, Steffen Seibert, o pacote interceptado na sala de correspondência do gabinete da chanceler alemã foi enviado pessoalmente a ela e “teria sido capaz de ferir pessoas”.

O ministro do Interior, Thomas de Maiziere, afirmou que o pacote foi enviado há dois dias da Grécia. “Ele foi construído da mesma forma e se parecia com o pacote que explodiu na embaixada suíça em Atenas”, disse a repórteres.

Jovens

Os incidentes acontecem um dia depois de autoridades gregas terem prendido dois jovens gregos, de 22 e 24 anos, suspeitos de tentar enviar pacotes com pequenos explosivos pelo correio. Eles são ligados a uma guerrilha grega de esquerda. De acordo com um policial, os suspeitos presos usavam coletes à prova de balas e portavam armas.

Um dos pacotes, endereçado à Embaixada do México em Atenas, explodiu na segunda-feira na sede da companhia de entregas Swiss Mail e feriu uma funcionária. Segundo a polícia grega, outros três pacotes-bomba foram interceptados, um deles endereçado ao presidente da França , Nicolas Sarkozy.

Os outros dois pacotes tinham como destino as embaixadas da Bélgica e da Holanda em Antenas, e foram detonados de forma controlada pela polícia.

A Grécia tem sido abalada por uma onda de ataques com explosivos, geralmente reivindicados por grupos de esquerda. As agressões começaram depois que a polícia matou um adolescente em Atenas em 2008, incitando os piores tumultos na Grécia há décadas. Em junho, um pacote explodiu no ministério que controla a polícia, matando um dos assessores mais próximos do ministro.

Explosivos

A explosão e a tentativa de envio de pacotes-bomba pelo correio acontecem depois da interceptação, na sexta-feira, de dois pacotes suspeitos por autoridades da Grã-Bretanha e de Dubai.

© AP
Policial se prepara para realizar explosão controlada de bomba encontrada em Atenas, na Grécia (01/11/2010)
Os pacotes, que continham explosivos, partiram do Iemên em direção aos Estados Unidos. De acordo com a imprensa americana, o principal suspeito é Ibrahim Hassan al-Asiri, um cidadão da Arábia Saudita que seria um dos líderes da Al-Qaeda na Península Arábica.

De acordo com o presidente americano, Barack Obama, os dois dispositivos estavam direcionados a organizações judaicas na área da cidade americana de Chicago. Ele não especificou quais seriam as instituições.

Obama afirmou que as autoridades descobriram uma "ameaça terrorista real" contra os EUA. "Os eventos das últimas 24 horas mostram a necessidade de permanecer em vigilância", disse.

*Com AP, AFP, BBC e Reuters

    Leia tudo sobre: explosãogréciaatenasterrorismobombas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG