Toronto (Canadá), 13 fev (EFE).- A aeronáutica canadense Bombardier disse hoje que enviou uma equipe de técnicos a Buffalo, no estado de Nova York (EUA) para ajudar na investigação do acidente de um avião Dash 8 Q400, fabricado por ela, que caiu nesta madrugada matando 50 pessoas.

"Expressamos nossas condolências às famílias dos que morreram neste acidente. A Bombardier enviou uma equipe ao local para ajudar o Conselho de Segurança do Transporte americano em sua investigação", afirmou em nota a companhia.

O acidente aconteceu quando o voo 3407 procedia a aterrissar no aeroporto internacional de Niágara, em Buffalo.

A companhia aérea Colgan Air informou que as vítimas do acidente aéreo são 50, das quais 44 passageiros, quatro membros da tripulação, um piloto que não estava em serviço e uma pessoa que estava na casa contra a qual o avião se chocou.

A Bombardier vendeu o Dash 8 Q400, um avião propulsionado a turbo para distâncias curtas, a numerosas companhias aéreas de todo o mundo.

Em 2007, a companhia aérea escandinava SAS anunciou que deixaria de utilizar o modelo Q400 por não confiar em sua segurança, após uma série de avarias no trem de aterrissagem em três dos 27 aviões de sua frota.

No ano passado, a SAS afirmou que a Bombardier pagaria 100 milhões de euros pelas avarias.

O pagamento foi efetuado em forma de desconto com a compra de 13 aviões CRJ900 e de 14 do modelo Q400.

As ações de Bombardier caíram 3,12% hoje na Bolsa de Toronto após as notícias do acidente. EFE jcr/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.