Bombardeios aéreos matam 17 tâmeis no Sri Lanka

Nova Délhi, 7 fev (EFE).- Pelo menos 17 rebeldes tâmeis, entre eles dois líderes, morreram em bombardeios aéreos do Exército no norte do Sri Lanka, enquanto a guerrilha afirmou hoje que dezenas de pessoas morreram em uma ofensiva militar contra um hospital.

EFE |

Aviões de combate lançaram até sete ofensivas aéreas entre ontem e hoje contra esconderijos da guerrilha dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE) no norte, informou hoje o Ministério da Defesa cingalês, em comunicado.

As tropas bombardearam ontem um esconderijo situado no distrito de Mullaitivu, onde os militares encurralaram os rebeldes em uma área de floresta de cerca de 200 quilômetros quadrados.

O Exército acredita que o esconderijo, equipado com modernas instalações, era uma das bases de coordenação do líder da divisão naval da guerrilha, coronel Soosai, que está desaparecido, acrescentou a nota.

Na ofensiva, 17 guerrilheiros, entre eles dois líderes dos LTTE, morreram.

Desde o início do ano, os militares intensificaram sua ofensiva contra a guerrilha, tomando os redutos mais significativos do grupo.

As agências de cooperação internacional, lideradas pela ONU e pela Cruz Vermelha, o único organismo que tem acesso à área dos combates, denunciaram reiteradamente que os civis na área rebelde estão sendo vítimas do conflito armado.

O site Tamilnet", afim à guerrilha, disse hoje que entre 40 e 60 pessoas morreram depois que as tropas governamentais bombardearam e destruíram um hospital situado em Puthukkudyiruppu.

Uma porta-voz da Cruz Vermelha no Sri Lanka disse à Agência Efe, no início desta semana, que esse hospital tinha sido atacado até cinco vezes nos últimos dias. EFE mb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG