Por Haji Mujtaba MIRANSHAH (Reuters) - Mísseis disparados por aviões-robôs mataram na segunda-feira 23 pessoas, a maioria parentes de um dirigente do Taliban ligado a Osama bin Laden, numa região do Paquistão perto da fronteira com o Afeganistão, segundo testemunhas e autoridades.

O alvo do ataque foi um amplo terreno onde ficam uma casa e uma escola religiosa fundada pelo veterano dirigente Taliban Jalaluddin Haqqani perto de Miranshah, principal cidade da região tribal do Waziristão do Norte.

Dez militantes foram mortos no ataque.

'Havia dois aviões teleguiados e eles dispararam mísseis', disse um morador de Dandi Darpakheil, a aldeia atacada.

Entre os mortos estão uma esposa de Haqqani, sua cunhada, uma irmã, duas sobrinhas, oito netos e um parente homem. Um genro de Haqqani ficou ferido.

Uma fonte de inteligência disse que os militantes mortos eram paquistaneses e afegãos ligados ao Taliban, mas vizinhos afirmaram que o grupo incluía dois militantes de baixo escalão da Al Qaeda, sendo três árabes.

Haqqani é um veterano da guerra afegã -- com apoio dos EUA -- contra a invasão soviética, nas décadas de 1970 e 80, e sua família (inclusive agregados) vive desde então no Waziristão do Norte. As ligações de Haqqani com Bin Laden, líder da Al Qaeda, remontam ao final da década de 1980.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.