Bomba mata 9 em reunião de líderes tribais no Paquistão

Uma bomba matou pelo menos nove pessoas e feriu quase 40 nesta quinta-feira em uma reunião de líderes tribais na área de Bajaur, no Paquistão, segundo funcionários de um hospital local. A bomba foi detonada quando o grupo estava reunido para planejar como expulsar militantes da região como parte de um plano de luta do governo contra o Talebã.

BBC Brasil |

Bajaur é um reduto crucial para os insurgentes, com rotas de acesso ao Afeganistão e ao resto do Paquistão.

Autoridades dizem que a bomba, detonada por controle remoto, teve como alvo membros da tribo Salarzai. Um dos principais líderes da tribo, Sazlal Karim, estava entre os mortos.

Resistência
Em um incidente separado também nesta quinta-feira, autoridades dizem que pelo menos quatro militantes foram mortos em um ataque aéreo paquistanês em Bajaur.

Os jatos teriam como alvo a residência de um militante de comando na região, mas não se sabe se ele está entre os mortos. Tropas do governo têm realizado operações contra militantes em Bajaur desde agosto.

Segundo o correspondente da BBC no Paquistão, Ilyas Khan, as tropas continuam a enfrentar forte resistência em diversas áreas, principalmente perto da fronteira com o Afeganistão, apesar de anúncios de sucessos recentes na operação.

O Exército está encorajando tribos locais em Bajaur e outras regiões do noroeste paquistanês a enfrentar os militantes do Talebã e da Al-Qaeda.

Em resposta, o Talebã tem lançado ataques contra líderes tribais que se opõem ao grupo.

Combate
Em outubro, quase 30 pessoas foram mortas na explosão de um carro-bomba na região de Orakzai, que tinha como alvo um encontro de centenas de pessoas para discutir como lutar contra o Talebã.

O grupo extremista ganhou força em áreas tribais sem lei ao longo da fronteira afegã, onde até recentemente estavam protegidos de ataques americanos.

Mas, nos últimos meses, os Exércitos dos Estados Unidos e do Paquistão têm atacado as bases do Talebã, e líderes tribais estão sendo encorajados a travar uma luta armada contra o grupo e também contra a Al-Qaeda.

No fim de outubro, autoridades disseram que militantes em algumas áreas de Bajaur haviam prometido abandonar as armas e renunciar à violência.

A promessa havia sido feita antes de uma jirga, ou encontro tribal, na área de Mamund, reduto do Talebã.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG