Por Renee Maltezou ATENAS (Reuters) - Um carro-bomba explodiu do lado de fora da bolsa de valores de Atenas nesta quarta-feira, ferindo levemente uma mulher, no que a polícia grega suspeita ser o mais recente ataque feito por grupos anarquistas ou de esquerda.

A bolsa de Atenas abriu normalmente apesar do grande dano sofrido. Oito veículos nas proximidades pegaram fogo.

Anarquistas e grupos de esquerda iniciaram ataques contra alvos empresariais e policiais desde dezembro de 2008, quando a morte de um adolescente em confronto com a polícia deflagrou os piores tumultos na Grécia em décadas.

A polícia afirmou suspeitar que um desses grupos preparou a bomba, que destruiu janelas em diversos andares da bolsa e espalhou destroços por vários metros.

"Todas as evidências mostram que foi um ataque terrorista", afirmou o porta-voz da polícia grega Panayiotis Stathism, acrescentando que a polícia antiterrorismo estava juntando pistas no local. "Ninguém ainda assumiu a responsabilidade pelo atentado".

Uma denúncia anônima alertou um jornal grego sobre o ataque, que aparentemente visava danificar o edifício, mas não as pessoas.

Segundo a polícia, a bomba relógio foi feita com cerca de 15 quilos de material explosivo, colocados em uma van branca na rua ao lado da bolsa. Alguns apartamentos, lojas e uma revendedora de carros nas proximidades também foram danificados.

A polícia afirmou que a preparação da bomba foi similar a de outras feitas pelo grupo esquerdista Luta Revolucionária, o grupo grego mais militante, que emergiu em setembro de 2003 depois da captura do grupo 17 de Novembro.

O presidente do conselho da bolsa de valores de Atenas, Spyros Kapralos, afirmou que o dano causado ao edifício foi grande, mas que as autoridades trabalharam para que o mercado abrisse normalmente.

"Apesar dos grandes danos materiais causados pela explosão, tanto a bolsa de Atenas quanto a do Chipre irão operar normalmente", acrescentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.