Bolt poderia ter sido 14 segundos mais veloz, diz estudo

Físicos noruegueses acreditam que, se não tivesse diminuído o passo ao chegar à reta final, o atleta jamaicano Usain Bolt teria reduzido o tempo que levou para correr os 100 metros nas Olimpíadas de Pequim em 14 segundos. Bolt, o homem mais rápido do mundo, ganhou uma medalha de ouro e bateu o recorde mundial - estabelecido por ele próprio em maio deste ano - durante os Jogos Olímpicos na China, apesar de ter desacelerado a corrida nos últimos vinte metros, abrindo os braços e batendo no peito em euforia antes de cruzar a linha de chegada.

BBC Brasil |

Curiosos para saber qual teria sido o tempo de Bolt se ele não tivesse diminuído o ritmo, especialistas do Instituto de Astrofísica da Universidade de Oslo, na Noruega, decidiram usar alguns cálculos simples e as leis da física para tentar achar a resposta, diz a revista de ciência New Scientist.

Em seu tempo livre, Hans Eriksen e seus colegas, normalmente ocupados em ponderar os mistérios do cosmos, chegaram à conclusão de que o "homem relâmpago" teria diminuído o recorde de 9,69 para 9,55 segundos na prova dos 100 metros no dia 16 de agosto.

Os especialistas usaram imagens de televisão para medir as posições, velocidades e acelerações de Bolt e do segundo colocado, o tobaguiano Richard Thompson.

As medições mostram ambos Bolt e Thompson desacelerando a corrida nos últimos dois segundos, com uma desaceleração maior por parte de Bolt.

A equipe calculou então qual teria sido o tempo de Bolt se ele tivesse desacelerado seu ritmo tanto quanto Thompson, chegando a um resultado de 9,61 segundos.

Princípios da física
Mas, achando que essa estimativa poderia ser muito baixa, considerando que Bolt foi muito mais rápido do que Thompson nos primeiros oito segundos da prova, a equipe decidiu fazer um outro cálculo.

Eriksen e seus colegas decidiram estabelecer, arbitrariamente, que Bolt teria desacelerado, em relação a Thompson, em torno de meio metro por segundo nos últimos dois segundos.

Isto, diz a equipe, teria dado a Bolt o tempo de 9,55 segundos ao completar a prova.

É difícil obter medidas precisas a partir de filmagens de televisão, com apenas 30 frames por segundo e às vezes até menos, disse à New Scientist o especialista em locomoção humana Matthew Bundle, da University of Wyoming, na cidade de Laramie, nos Estados Unidos.

Estudos mais precisos do movimento humano se baseiam em filmes feitos por câmeras que operam com entre 125 e 250 frames por segundo, ele explicou.

Bundle disse que há também aparelhos que monitoram o movimento com feixes de luz que são "tocados" à medida em que a pessoa se move. Ainda assim, ele acha que os resultados obtidos pela equipe norueguesa são razoáveis.

O próprio Eriksen disse que seu cálculo não é o resultado final e definitivo mas, sim, uma aplicação divertida de princípios simples de Física. Ele disse que a equipe fez o melhor que pôde.

Os especialistas noruegueses submeteram seus cálculos à revista científica American Journal of Physics.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG