Bolsas de Ásia fecham em alta; na Europa, ações sobem

Os mercados financeiros da Ásia fecharam em forte alta nesta segunda-feira, repercutindo os anúncios feitos pelo governo americano no final de semana de auxílio às instituições financeiras com problema. Já na Europa, os mercados abriram em queda nesta segunda-feira, mas inverteram a tendência e operam em leve alta.

BBC Brasil |

Às 11h (7h no horário de Brasília), o índice FTSE, da bolsa de Londres, operava em alta de 0,22%, a 5.322,91 pontos. O DAX, de Frankfurt, subia 0,01% (6.190,18) e o CAC, de Paris, aumentava 0,17% (4.332,09).

Na Ásia, os mercados financeiros tiveram alta nesta segunda-feira, ainda repercutindo em parte as notícias de sexta-feira nos Estados Unidos, já que devido ao fuso horário os mercados eles estavam fechados quando parte do pacote de resgate foi anunciado.

O índice Nikkei, do Japão, subiu 1,4%, fechando a 12.090,59 pontos. O índice Hang Seng subiu 1,6%, fechando a 19.632,20 pontos.

Na China, o índice da bolsa de Xangai disparou 7,8%, após notícias de que o governo chinês também vai agir diante da crise.

Status de bancos
Os mercados de todo o mundo tiveram fortes perdas no começo da semana passada, depois que um grande banco americano faliu e outras instituições revelaram que estavam em condições difíceis.

Para conter a crise, o governo americano comprou parte de uma grande seguradora e anunciou um pacote de auxílio a instituições financeiras com problemas e os mercados começaram a se recuperar no final da semana.

Nesta segunda-feira, dois grandes bancos de investimento que também estão com problemas - o Morgan Stanley e o Goldman Sachs - anunciaram que estão mudando de status legal para poderem receber depósitos de seus investidores.

A medida ajudaria os dois bancos a levantarem fundos e facilitaria o seu acesso a recursos do Federal Reserve, o banco central americano.

O Congresso americano agora discute um plano elaborado pelo Tesouro dos Estados Unidos para criar um fundo especial, que comprará "dívidas podres" de instituições financeiras.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG