Bolsa do Japão registra piores perdas em 26 anos

O índice Nikkei, da bolsa de Tóquio, despencou 6,4% nesta segunda-feira, fechando o dia em seu menor nível desde 1982. Os demais mercados asiáticos também terminaram o pregão com fortes perdas, antecipando temores de que esta seja mais uma semana de quedas nos mercados financeiros ao redor do mundo.

BBC Brasil |

A Europa seguiu a tendência de queda e iniciou a segunda-feira no vermelho. Às 7h15 de Brasília, o índice FTSE, da Bolsa de Londres, recuava 4,67%, a bolsa de Paris caía 5,46% e a de Frankfurt operava com perdas de 3,90%.

No Japão, a bolsa chegou a operar em alta, mas caiu para seu menor patamar nos últimos 26 anos, apesar de o governo ter anunciado medidas para tentar recuperar a confiança dos investidores.

O primeiro-ministro japonês, Taro Aso, disse que novos fundos serão injetados para capitalizar os bancos e que serão implementadas medidas para controlar a prática da venda especulativa antecipada de ações que se beneficia da tendência de queda, uma manobra conhecida no jargão financeiro pelo termo de "short selling".

No Japão, o grupo dos sete países mais industrializados do mundo, G7, expressou sua preocupação com a economia japonesa, a segunda maior do mundo.

Representantes do G7 divulgaram um comunicado em que alertam que o recente fortalecimento do iene frente ao dólar representa "uma ameaça à estabilidade econômica" e disse que continuarão "vigiando de perto os mercados e cooperando de maneira apropriada" ante a turbulência financeira global.

Medo de recessão
Nas Filipinas, o principal índice da bolsa fechou em queda de 12,3% depois que o segundo maior banco do país, Banco Oro Unibank, registrou perdas de U$ 26,8 milhões devido à sua exposição às transações com o banco de investimentos Lehman Brothers, que faliu no mês passado.

O mercado de Seul, na Coréia do Sul, conseguiu reverter as perdas sofridas durante o dia e terminou o pregão com ligeira alta de 0,8%, depois que o Banco Central do país cortou a taxa de juros de 5% para 4,25% durante uma reunião de emergência.

O índice Hang Seng, da bolsa de Hong Kong, terminou o dia com queda acentuada de 12,7% registrando as maiores perdas diárias desde 1991.

O índice Composite, da bolsa de Xangai, também seguiu a tendência de queda, recuando 6,3% - seu menor patamar desde setembro de 2006.

E, na Índia, o índice Sensex caiu 6,1%, registrando seu menor nível desde novembro de 2005.

Os maus resultados dos mercados nesta segunda-feira ocorrem após fechamentos negativos na semana passada nos mercados de todo o mundo, diante de temores de uma recessão global.

Na Europa, uma das principais razões do pessimismo dos investidores foi a revelação, na sexta-feira, de que o PIB da Grã-Bretanha caiu 0,5% no terceiro trimestre do ano -o primeiro recuo em 16 anos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG