Primeira eleição de juízes por voto popular testará a liderança do presidente Evo Morales

Presidente boliviano Evo Morales vota em Chapare
Reuters
Presidente boliviano Evo Morales vota em Chapare
Os bolivianos votavam de forma ordenada neste domingo (17) para eleger os principais juízes nacionais, um acontecimento que testará a liderança do presidente indígena Evo Morales, a quem a oposição acusa de tentar se apoderar dos tribunais.

A primeira eleição de juízes por voto popular é uma reforma importante da reforma liderada por Morales no empobrecido país, que nos últimos cinco anos vivenciou nacionalizações no setor de petróleo e outras indústrias e um aumento da presença de índios em órgãos do poder.

Mas a organização das eleições, especialmente a seleção dos candidatos na Assembleia Plurinacional, provocou tanta polêmica que a oposição direitista decidiu fazer campanha pelo voto nulo em um tipo de plebiscito sobre o mandatário.

Esse é "um dos atos mais criativos da democracia boliviana", disse o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Wilfredo Ovando, ao inaugurar formalmente a votação em La Paz.

Morales destacou o caráter histórico do processo e a participação dos eleitores em todo o país.

"Estou feliz pela enorme participação das pessoas, esperamos que (a eleição) seja um sucesso total para o povo boliviano", disse o líder indígena após votar na região cocalera de Chapare, no departamento (província) de Cochabamba.

"Acredito no sentimento do povo para fortalecer e aprofundar a democracia ao eleger as nove autoridades judiciais", acrescentou o mandatário.

O TSE informou que não foram registradas dificuldades graves na abertura dos centros de votação pela manhã. Aproximadamente 5,2 milhões de eleitores devem votar em todo o país e os primeiros resultados oficiais poderão ser conhecidos à noite.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.