Bolivianos de SP começam censo biométrico para eleições

São Paulo, 15 set (EFE).- Membros da comunidade boliviana residentes em São Paulo e contratados pela Corte Nacional Eleitoral (CNE) da Bolívia começaram hoje oficialmente a elaboração do censo biométrico para as eleições gerais bolivianas de dezembro.

EFE |

Embora os registros começassem "oficialmente" hoje, o início dos trabalhos em São Paulo foi antecipado para segunda-feira, porque "tudo estava pronto e não havia motivo para demorar", disse à Agência Efe o coordenador da CNE em São Paulo, Jorge González.

González disse que a CNE contratou 33 bolivianos ou filhos de bolivianos em São Paulo que trabalharão até 15 de outubro na elaboração do censo e durante o processo eleitoral previsto para 6 de dezembro.

Durante todo esse tempo, esperam recensear entre 23 mil e 28 mil dos cerca de 150 mil bolivianos que, segundo cálculos, vivem no estado de São Paulo, já que, segundo a lei eleitoral, os residentes no exterior só podem representar 6% do censo de eleitores.

As eleições de 6 de dezembro serão as primeiras na história da Bolívia nas quais os emigrados poderão exercer seu direito ao voto.

A CNE prevê que 211 mil residentes no exterior façam o registro, além de em São Paulo, nas cidades argentinas de Buenos Aires, Jujuy e Mendoza; nas americanas de Virginia, Maryland e Nova York, e nas espanholas de Barcelona, Madri e Valência.

O representante da CNE em São Paulo também insistiu no fato de que o organismo é um poder do Estado independente do Governo e do Legislativo, por isso não depende do Consulado.

Ao se antecipar o início dos registros, o primeiro cidadão a ser recenseado em São Paulo, Gustavo Germán Moya, passou para a história como o primeiro boliviano que se incorpora no censo de eleitores fora desse território para poder votar em eleições, já que, até agora, o voto no exterior é algo inédito no país.

Nas eleições bolivianas de 6 de dezembro, se apresentará à reeleição o presidente Evo Morales, cujos principais adversários parecem ser os ex-governadores de Cochabamba e Pando, Manfred Reyes Villa e Leopoldo Fernández.

Além dos ex-governadores, também segue na corrida presidencial o empresário Samuel Doria Medina. EFE az/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG