O pequeno mas rico Departamento (Estado) de Tarija, na Bolívia, encerra neste domingo uma série de quatro referendos por autonomia regional no país. Anteriormente, os Departamentos de Santa Cruz, Beni e Pando já haviam aprovado seus estatutos de autonomia em relação ao governo central do presidente Evo Morales.

As pesquisas indicam que os eleitores de Tarija também devem votar amplamente em favor da autonomia.

O referendo de Tarija tem especial importância porque esta região é dona de 85% do gás natural que a Bolívia tem e porque os líderes autonomistas esperam a conclusão deste referendo para consolidar o bloco de Departamentos autônomos e suas novas ações contra o governo.

Morales afirma que os referendos são ilegais e diz que não aceitará seus resultados.

Controle
Os quatro Departamentos - Tarija, Beni, Pando e Santa Cruz - estão na parte oriental do país, a mais rica da Bolívia, e desejam a autonomia para aumentar seu controle sobre a renda obtida com as suas reservas de gás e petróleo.

Os governos desses Departamentos, controlados pela oposição, se opõem aos planos do presidente Morales para redistribuição da renda.

Os simpatizantes de Morales, que são a minoria nessa região, estão boicotando a votação.

Morales deve enfrentar seu maior desafio em agosto, para quando convocou um referendo que poderá revogar seu próprio mandato, apenas dois anos e meio após sua chegada ao poder.

Se sobreviver ao referendo, ele deverá ter um mandato ainda mais forte para combater o movimento pela autonomia na região oriental do país.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.