Bolívia suspende demanda contra EUA na OMC até chegada de Obama

LA PAZ - A Bolívia anunciou, nesta terça-feira, que suspendeu sua decisão de processar os Estados Unidos diante da Organização Mundial do Comércio (OMC) devido ao cancelamento do programa de preferências tarifárias ATPDEA, já que esperará iniciar negociações com o futuro presidente americano, Barack Obama.

EFE |

O chefe de Estado da Bolívia, Evo Morales, disse, em um encontro com a imprensa internacional, que preferiu não levar à OMC essa demanda por "respeito ao novo presidente" dos EUA.

"Um requerimento perante a OMC, vamos ganhar, mas preferimos negociar com o novo presidente, por isso suspendemos a demanda que temos preparada", disse Morales.

O atual presidente dos EUA, George W. Bush, cancelou para a Bolívia a Lei de Preferências Tarifárias Andinas (ATPDEA), que exime do pagamento de tarifas os produtos deste país, da Colômbia, Equador e Peru, por causa de seus compromissos na luta contra as drogas.

O argumento de Bush foi uma suposta falta de colaboração na luta contra as drogas por parte da Bolívia.

"De verdade, queremos melhorar as relações com o Governo de Obama, dentro do respeito mútuo", disse Morales, que também aproveitou para insistir em solicitar ao futuro líder americano que suspenda o bloqueio econômico a Cuba.

"Precisamos dos EUA, talvez eles não precisem da Bolívia. Cumprimentamos por ser uma potência internacional, mas não sei se, com a crise financeira, continuará sendo uma potência internacional, duvido disso já", disse.

Leia mais sobre: Bolívia - EUA

    Leia tudo sobre: bolívia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG