Bolívia se desculpa com Brasil e Argentina por cortes no envio de gás

La Paz, 16 set (EFE) - O Governo da Bolívia pediu desculpas a Brasil e Argentina pelos cortes nos envios de gás natural provocados pelos problemas políticos internos do país, segundo disse hoje o ministro de Hidrocarbonetos boliviano, Saúl Ávalos.

EFE |

O ministro explicou à imprensa que conversou com autoridades brasileiras e argentinas para pedir "desculpas pelos problemas" pelos quais o país está atravessando.

Na última semana, opositores autonomistas cometeram atentados contra gasodutos que atravessam o sul da Bolívia e provocaram um corte temporário do fornecimento de gás ao Brasil e à Argentina.

Os opositores exigem que o Governo de Evo Morales devolva às regiões as receitas do imposto cobrado sobre o petróleo, que seria usado no pagamento de uma pensão aos idosos, e que detenha seu projeto de refundação constitucional.

Os protestos de semana passada tomaram conta do país em uma onda de violência, na qual pelo menos 15 pessoas morreram e mais de 100 desapareceram, segundo dados do Governo.

O ministro de Hidrocarbonetos boliviano disse que tanto Brasil quanto Argentina "disseram que não vão deixar de comprar" o gás natural.

Atualmente, o Brasil recebe mais de 31 milhões de pés cúbicos de gás natural da Bolívia, que ainda exporta 1,5 milhão de pés cúbicos diários em média à Argentina, embora, segundo os contratos entre os dois países, devessem ser 7,7 milhões. EFE az/rb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG