Bolívia rompe relações diplomáticas com Israel

Por Diego Ore LA PAZ (Reuters) - O presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou na quarta-feira o rompimento de relações diplomáticas com Israel por causa dos ataques à Faixa de Gaza, seguindo os passos do seu aliado venezuelano Hugo Chávez, que na semana passada expulsara o embaixador israelense em Caracas.

Reuters |

"Frente a estes graves fatos de atentado à vida e à humanidade, a Bolívia rompe relações diplomáticas com Israel," disse Morales em discurso ao corpo diplomático estrangeiro, que fez uma visita ao palácio presidencial para apresentar cumprimentos de ano novo.

O cônsul israelense na Bolívia, Roberto Nelkenbaum, lamentou a decisão, da qual no entanto disse não ter sido oficialmente informado. Ele disse ter ouvido o discurso pela imprensa local, e se sentiu "perplexo e triste".

"Queremos que a relação de amizade com a Bolívia continue", declarou.

Em setembro, Morales já havia expulsado o embaixador dos Estados Unidos, a quem acusou de conspirar com a oposição para depô-lo.

"Não é possível que, como comunidade internacional, possamos permitir que haja este genocídio na Palestina", afirmou Morales sobre os ataques na Faixa de Gaza.

Ele sugeriu que o Tribunal Penal Internacional "julgue os principais responsáveis por este massacre que já custou mais de mil vidas, um terço delas de meninos e meninas". Afirmou que o primeiro-ministro Ehud Olmert e seu gabinete deveriam ser réus no processo.

Morales também criticou o Conselho de Segurança, a que chamou de "Conselho de Insegurança", por sua demora e ineficiência em reagir à crise.

O presidente anunciou, finalmente, que solicitará a cassação do Prêmio Nobel da Paz concedido em 1994 ao hoje presidente de Israel, Shimon Peres, que segundo ele "não fez nada" para impedir o "massacre" em Gaza.

Uma comissão do Irã, liderada pelo ministro de Cooperação, Mohammad Abbasi, reuniu-se na terça-feira com Morales, e a questão de Gaza foi um dos temas tratados. "Oxalá possamos fazer entre a Bolívia e o Irã um acordo internacional contra este conflito na zona palestina", afirmou Abbasi.

As relações entre Bolívia e Israel foram tradicionalmente amistosas, o que permitiu a execução de um vasto programa de cooperação técnica israelense com o país sul-americano.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG