LA PAZ (Reuters) - A Bolívia ultrapassou a marca de 500 casos da gripe H1N1 e decidiu estender em uma semana as férias escolares e universitárias por receio de um contágio massivo, informou nesta quinta-feira o governo do país. A volta às aulas, prevista para a próxima segunda-feira, será adiada para 20 de julho. No entanto, o departamento oriental de Santa Cruz --o mais afetado, com 374 casos-- informou que o início das aulas ocorrerá somente em 27 de julho, uma semana após a volta às aulas no restante do país.

Mesmo assim, Santa Cruz paralisou na segunda-feira todas as concentrações massivas durante duas semanas.

"Ficam suspensas todas as atividades cujo caráter seja prescindível ou postergável em todos os estabelecimentos públicos e privados do departamento de Santa Cruz, até que dure a emergência", indicou o comunicado do Centro de Operações de Emergência (COE) de Santa Cruz.

O surto da nova gripe, que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma pandemia global, se propagou em oito dos nove departamentos do país andino. Até agora não foram registradas mortes.

(Reportagem de Diego Oré)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.