rebatizada de A H1N1 pela Organização Mundial de Saúde) no país somam 499 e a região de Santa Cruz, a mais afetada pela doença, com 338 infectados, estuda paralisar as atividades durante quatro dias para evitar a propagação da epidemia." / rebatizada de A H1N1 pela Organização Mundial de Saúde) no país somam 499 e a região de Santa Cruz, a mais afetada pela doença, com 338 infectados, estuda paralisar as atividades durante quatro dias para evitar a propagação da epidemia." /

Bolívia registra 499 casos da gripe

LA PAZ - As autoridades sanitárias da Bolívia indicaram hoje que os casos de gripe suína (http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/04/30/oms+decide+mudar+nome+da+gripe+suina+5867916.htmlrebatizada de A H1N1 pela Organização Mundial de Saúde) no país somam 499 e a região de Santa Cruz, a mais afetada pela doença, com 338 infectados, estuda paralisar as atividades durante quatro dias para evitar a propagação da epidemia.

Redação com agências internacionais |

O responsável de influenza do Ministério da Saúde, René Lenis, confirmou que os casos de gripe suína chegam a quase 500 na Bolívia e indicou que a região de Santa Cruz foi declarada "zona de alto risco", devido ao constante aumento de casos.

La Paz, com 79 casos, e Cochabamba, com 56, foram catalogadas como "zonas de risco elevado", enquanto os departamentos de Oruro, com dez casos, Potosí e Tarija, com cinco cada, e Chuquisaca, com quatro, foram declarados "de risco médio".

Além destes casos, há dois pacientes cuja procedência não foi ainda precisada.

As únicas regiões que se mantiveram livres de infecções são as amazônicas de Pando e Beni, na fronteira com o Brasil. Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados.

Entenda

Leia também:

Leia mais sobre: "gripe suína"

    Leia tudo sobre: bolíviagripe suína

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG