Bolívia pula o Carnaval em meio a tensões políticas

LA PAZ (Reuters) - Nesta quinta-feira, a Bolívia começou a comemorar o Carnaval, com enormes festas que parecem dar um alívio aos conflitos políticos quase habituais no país. O presidente Evo Morales levou o Carnaval ao palácio do governo, onde participou de uma dança tradicional após assinar decretos de aumentos salarial e em favor de mães trabalhadores, antes de viajar à cidade de Oruro, onde lhe espera o primeiro grande desfile folclórico da temporada.

Reuters |

Embora, formalmente, seja dia de trabalho, as comemorações do Carnaval eram o principal interesse dos bolivianos e da mídia nesta quinta-feira, preparando ambiente para as "entradas" -- os desfiles de fim de semana.

No sábado, ocorrerá a famosa "entrada" do Carnaval em Oruro, um desfile de danças folclóricas de mais de 15 horas de duração, no qual se misturam símbolos católicos e práticas pagãs.

Morales, conhecido por manter um ritmo de trabalho extenuante, previa participar não só da "Anata", mas também da "entrada" em Oruro. Fontes oficiais disseram que ele também não descarta a possibilidade de assistir ao Carnaval em sua comunidade natal, Orinoca.

Morales não mencionou na quinta-feira os novos episódios da tensão política, nem um escandaloso caso de corrupção na petrolífera estatal YPFB, concentrando-se no Carnaval.

"Esperamos que esta festa de Carnaval seja um boa festa, sem muito alcoolismo, claro", disse Morales.

"Para trabalhar, as pessoas têm de ter se divertir. A diversão para alguns é o esporte, para outros é a festa". acrescentou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG