MADRI - O governo boliviano disse que vai fazer o que for preciso para que as empresas estrangeiras continuem operando no país. A declaração foi feita à agência EFE pelo ministro da presidência da Bolívia, Juan Ramón Quintana.

"Acreditamos que conseguimos superar algumas dificuldades com as empresas, especialmente as vinculadas aos hidrocarbonetos. Vamos fazer o que for preciso para que estas empresas continuem trabalhando no país", disse.

No entanto, Quintana insistiu em que "não houve uma situação traumática (no país), muito pelo contrário".

"Negociamos um acordo entre as partes que pode ser considerado razoável, inteligente e compreensível, no qual os governos contribuíram para superar as dificuldades. Acreditamos que as empresas vinculadas aos hidrocarbonetos atualmente se sentem mais cômodas, e confiam mais no país", assegurou.

O ministro boliviano disse que a negociação aconteceu em "um clima de entendimento", e destacou que "nenhuma das empresas envolvidas nas negociações deixou o país".

Os contratos foram assinados com várias empresas transnacionais, entre elas a Petrobrás.


Leia mais sobre Bolívia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.