LA PAZ (Reuters) - A Bolívia pediu na sexta-feira que o Brasil expulse os cidadãos bolivianos que teriam se refugiado no país para fugir da prisão por supostos vínculos com um massacre de camponeses favoráveis ao governo. O ministro do Governo, Alfredo Rada, disse que a Bolívia entrou em contato com as autoridades brasileiras para conseguir a expulsão do que chamou de delinqüentes, pela relação com um ataque no distrito de Pando, que deixou 17 mortos na semana passada.

'Nós já entramos em contato com as autoridades brasileiras para indicar que aquelas pessoas são delinquentes, e sobre elas há acusações muito graves, não é possível dar-lhes asilo.

Portanto, uma vez identificados seria melhor expulsá-los do Brasil para a Bolívia', declarou Rada à rádio Erbol.

Rada afirmou que os bolivianos envolvidos no massacre se encontram nas cidades brasileiras de Brasiléia e Epitaciolândia, ambas no Estado do Acre.

O massacre, que levou o governo a decretar estado de sítio em Pando, foi o capítulo mais sangrento da onda de violência que explodiu na Bolívia há três semanas com protestos da oposição aos planos socialistas do presidente Evo Morales.

O governador de Pando, Leopoldo Fernandez, foi detido por ter supostamente ordenado o massacre.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou nesta semana que a Polícia Federal reforçará a fronteira com Pando para impedir o trânsito de pessoas armadas e o tráfico de drogas.

(Por Luis Jaime Acosta)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.