Bolívia pede à UE compromisso mais forte com democracia na A. Latina

BRUXELAS - O embaixador da Bolívia perante a União Européia (UE), Christian Inchauste, afirmou nesta terça-feira que os 27 países-membros não deram o apoio esperado ao Governo boliviano na crise política do país e pediu à Europa um compromisso mais forte com a democracia na América Latina.

EFE |

Em entrevista coletiva em Bruxelas, Inchauste criticou que, na relação da UE com a América Latina, os assuntos comerciais tenham "estado acima de todos os demais temas, como o do processo político".

Perguntado pela resposta do bloco à situação vivida pela Bolívia, o embaixador disse que o Governo e demais países latino-americanos esperavam "um pouquinho mais de atitude" que a mostrada pela UE, ao considerar que "os fatos que passaram na Bolívia foram sumamente graves".

Inchauste assegurou que na Bolívia "se está jogando, em certa maneira, com a sorte do Cone Sul, talvez da América do Sul para os próximos 20 anos".

Em sua opinião, a situação é "vital, porque qualquer quebra institucional ou no Estado de Direito vai impactar no resto da região".

    Leia tudo sobre: bolíviaue

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG