O governo boliviano negou nesta terça-feira que esteja contribuindo para o programa nuclear iraniano com o fornecimento de urânio, como suspeita Jerusalém, segundo um documento oficial do Ministério das Relações Exteriores israelense.

"A Bolívia não produz urânio (...), o país nunca produziu urânio", disse o ministro da Mineração, Luis Alberto Echazú, aos jornalistas na primeira reação às acusações israelenses.

A chancelaria boliviana prepara uma resposta formal para as suspeitas de Israel de que La Paz colabore com os planos nucleares do Irã, segundo fontes da imprensa.

"Parece que a Bolívia é também um fornecedor de urânio do programa nuclear iraniano", indicou o relatório da chancelaria israelense, que também envolveu no episódio a Venezuela, aliada do governo do presidente Evo Morales.

Os governos de Irã e Bolívia desenvolvem uma política de aproximação e, recentemente, uma delegação do Parlamento iraniano ratificou em La Paz programas de cooperação agrícola, médica e petroleira de Teerã, que beiram 1,2 bilhão de dólares.

A Bolívia rompeu relações diplomáticas com Israel em janeiro depois dos ataques israelenses à Faixa de Gaza.

Leia mais sobre Bolívia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.