Bolívia: militares alertam que estatuto de Santa Cruz ameaça integridade nacional

O Conselho Supremo de Defesa Nacional (Cosdena), uma instância militar de apoio às Forças Armadas da Bolívia, advertiu neste sábado que o estatuto de autonomia que será submetido a referendo popular no domingo no departamento de Santa Cruz ameaça a integridade do território nacional.

AFP |

"Não podemos ignorar que há um sério risco que ameaça a integridade do território nacional e que exige urgentemente um processo de conciliação", declarou o secretário permanente da Cosdena, general Mario Ayala Ferrufino, em um pronunciamento à imprensa.

Para Ferrufino, o conteúdo do estatuto de autonomia pode gerar "graves conseqüências para a unidade do país, estando em total desacordo com a atual Constituição Política do Estado (CPE) ao assumir competências que são nacionais", de acordo com a agência católica de notícias Erbol.

Em caso de uma eventual vitória do 'Sim' na consulta de Santa Cruz - considerada ilegal pelo tribunal eleitoral - o estatuto "não pode nem deve ser aplicado, e nem pode ser adotado como um novo texto constitucional, uma vez que a atual CPE não contempla as autonomias", destacou o general.

Os militares dizem ainda que a pergunta do referendo - "Você decide pela ratificação e entrada em vigência do Estatuto do Departamento Autônomo de Santa Cruz" - dá a entender que a região já possui a condição de autonomia, o que vai contra a atual Carta Magna.

Os chefes das Forças Armadas (Exército, Aeronáutica e Marinha) são aliadas do presidente Evo Morales, capitão general das três armas por imperativo constitucional.

rb/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG