Bolívia investiga corrupção em estatal de hidrocarbonetos

La Paz, 2 fev (EFE).- O Governo da Bolívia iniciou hoje a auditoria dos escritórios da estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) para investigar o escândalo da semana passada por suspeita de cobranças de propina.

EFE |

A vice-ministra da Luta contra a Corrupção, Nardi Suxo, chegou no começo da manhã aos escritórios de YPFB, no centro de La Paz, para iniciar uma auditoria jurídica e financeira à empresa, declarou à imprensa.

"Vamos recolher toda documentação com informação pertinente que existe na parte jurídica e financeira", declarou Suxo a emissoras de TV.

A vice-ministra investiga o ex-presidente de YPFB Santos Ramírez por suspeita de corrupção que veio à tona há seis dias após o assassinato de um empresário boliviano que tinha negócios com a estatal petrolífera.

Trata-se de Jorge O'Connor, de quem uma quadrilha grupo de assaltantes roubou US$ 450 mil que levava em uma mala - dinheiro que, segundo a oposição, poderia ser para uma comissão ilegal por um contrato milionário com a YPFB.

Quando foi assaltado, o empresário chegava a uma casa que, segundo diversas fontes, pertence a parentes de Giovanna Navia Doria Medina, mulher do agora ex-presidente de YPFB e deputada suplente pelo partido do Governo Movimento ao Socialismo (MAS).

O escândalo levou o presidente da Bolívia, Evo Morales, a substituir a Santos Ramírez pelo ex-ministro do Planejamento Carlos Villegas. EFE az/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG