Bolívia expressa preocupação com construção de represas no rio Madeira

Brasília, 13 mar (EFE).- A Bolívia ratificou sua preocupação com o impacto ambiental e sanitário das hidroelétricas de Santo Antônio e Jirau, construídas pelo Brasil no rio Madeira, disse hoje à Agência Efe o vice-ministro do Meio Ambiente boliviano, Juan Pablo Ramos.

EFE |

"Passamos de dúvidas razoáveis à constatação" do impacto que terão as represas de Santo Antônio e Jirau, que serão instaladas no rio Madeira, cerca de 100 quilômetros da divisa com a Bolívia, disse o funcionário boliviano.

As "constatações" constam em estudos realizados pelas autoridades da Bolívia e entregues ao ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, pelo chanceler boliviano, David Choquehuanca, na reunião que ambos mantiveram na quinta-feira em Brasília, explicou Ramos à Efe.

Uma das maiores preocupações é na área de saúde, pois os espelhos de água que serão criados pelas hidroelétricas podem favorecer à proliferação de doenças tropicais, como dengue ou malária, em uma região amazônica de potenciais riscos, informou.

O vice-ministro afirmou que a única forma de minimizar o impacto das represas é rever seu desenho e modificar a "curva-guia", como é conhecido o parâmetro que define o nível de água dos açudes.

Isso, no entanto, também significaria uma redução da capacidade de geração das represas, que, em conjunto, deverão somar 6.500 megawatts de potência instalada, de acordo com os planos iniciais.

O vice-ministro acompanhou o chanceler em sua visita ao Brasil, que concluiu hoje com um ato realizado na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT), em Brasília. EFE ed/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG