Bolívia: 'Espionagem imperial não pode dividir América Latina'

Vice-presidente se referiu indiretamente aos documentos vazados que revelam vontade de Cristina Kirchner em colaborar com os EUA

EFE |

O vice-presidente boliviano, Álvaro García Linera, afirmou que há uma "diplomacia imperial de espionagem e conspiração" dos Estados Unidos revelada pelo site WikiLeaks e pediu aos países da região, especialmente a Argentina, para permanecerem unidos.

"Temos uma diplomacia imperial de espionagem e conspiração permanente, que já sabíamos, e aí estão as provas", disse García Linera durante um discurso no plenário da 20ª cúpula Ibero-Americana. "Não vamos permitir que estas informações, essa maneira de proceder, aumentem as distâncias entre nós, eles não podem nos dividir", afirmou, dirigindo-se à presidente argentina, Cristina Fernandéz de Kirchner, anfitriã da cúpula.

García Linera se referiu, mas sem mencionar expressamente, aos documentos vazados que revelam a vontade de Cristina de colaborar com os Estados Unidos em sua estratégia na Bolívia e aos qualificativos de "pessoa difícil" que teria dirigido ao presidente Evo Morales, ausente na reunião de Mar del Plata.

    Leia tudo sobre: documentos diplomáticosEUAwikileaks

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG