Bolívia enfrenta tensão com bloqueio de vias e atentado contra emissora

TARIJA - A região boliviana de Yacuiba, que faz fronteira com a Argentina, vive hoje momentos de tensão com o início de um bloqueio de vias contra o prefeito regional de Tarija, o opositor Mario Cossío, e um atentado com dinamite às instalações da emissora Unitel, crítica ao Governo de Evo Morales.

EFE |

Marcial Rengifo, que foi eleito há uma semana como subprefeito de Yacuiba em processo eleitoral que Cossío não reconheceu, mas que foi aprovado pelo Governo de Evo Morales, disse à agência Efe que foi bloqueada a via entre Tarija e o departamento de Santa Cruz.

O protesto, que pode passar a atingir mais tarde a ponte internacional que liga Tarija com a Argentina, começou na madrugada de hoje com o propósito de conseguir que Cossío reconheça a validade da eleição de Rengifo.

Segundo Rengifo, o protesto dos moradores de Yacuiba está concentrado exclusivamente em pedir o reconhecimento de sua autoridade e não tem relação alguma com uma suposta oposição ao referendo sobre estatutos autônomos que será realizado amanhã em Tarija.

Esta consulta autônoma não foi aceita dpor Morales, que a chamou de "ilegal e inconstitucional", e por promover, segundo ele, uma "secessão" territorial, acusação que também foi feita contra os referendos anteriores de Santa Cruz, Beni e Pando.

Por outro lado, o promotor de Yacuiba, Diego Choque, confirmou à Efe que por volta das 5h30 (6h30, em Brasília) de hoje, a filial da emissora "Unitel", crítica ao Governo, sofreu um atentado com dinamite que causou "danos materiais consideráveis".

Segundo Choque, o veículo do qual supostamente foi lançada a dinamite bateu em sua fuga em outro automóvel, o que permitiu deter aos supostos autores do atentado, entre eles um tenente do Exército.

No veículo dos agressores foram encontrados mais dinamites, pavio, várias armas, entre elas uma metralhadora de uso militar, e panfletos contra o processo autonomista de Tarija.

"Havia material para cometer atos terroristas", declarou Choque, que afirmou que foram detidas 19 pessoas, que estão sendo interrogadas.

    Leia tudo sobre: bolívia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG