CARACAS (Reuters) - O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse nesta quinta-feira que forças da segurança do país impediram um plano de assassiná-lo, matando três estrangeiros em um tiroteio que durou meia hora em um hotel. Evo Morales mencionou as nacionalidades irlandesa e húngara das pessoas que ele chamou de mercenários estrangeiros envolvidos na suposta trama. Ele disse que duas pessoas foram presas.

(Reportagem de Frank Jack Daniel)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.