Bolívia diz que Unasul analisará compra de armas pelo Brasil

La Paz, 8 set (EFE).- O ministro da Defesa boliviano, Wálker San Miguel, afirmou hoje que certamente o Conselho de Defesa da União de Nações Sul-americanas (Unasul) analisará em 15 de setembro, no Equador, a compra de armas e tecnologia militar do Brasil à França.

EFE |

"Certamente o Conselho de Defesa reunido em Quito vai tocar no tema Brasil-França e seguramente o Brasil dará uma informação adequada", disse hoje San Miguel, em entrevista à Agência Efe.

O ministro da Defesa brasileiro, Nelson Jobim, visitará a Bolívia na próxima segunda-feira para viajar imediatamente junto a San Miguel para a reunião em Quito, que começa um dia depois.

Jobim esteve várias vezes na Bolívia, a última delas em abril, quando anunciou uma doação de quatro helicópteros para os militares bolivianos e depois viajou junto a San Miguel para o Haiti, a fim de avaliar as forças de paz que os dois países têm em território haitiano.

San Miguel disse que as compras do Brasil à França serão analisados dentro da transparência regional durante a reunião do organismo de defesa da Unasul, que terá como tema central o acordo entre Colômbia e Estados Unidos sobre o uso de bases colombianas por militares americanos.

"Não temos nenhuma dúvida de que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva é um homem pacifista também, que acredita muito na integração e, de fato, o Brasil é o que propõe o Conselho de Defesa e a reforma do Conselho do Segurança da ONU", afirmou.

Lula e o presidente da França, Nicolas Sarkozy, selaram na segunda-feira uma aliança militar nas áreas naval e aeronáutica que oferecerá tecnologia à indústria brasileira.

A operação, que será completada em vários períodos que concluirão em 2021, representará para o Brasil um desembolso de US$ 12,317 bilhões, dos quais cerca de US$ 9 bilhões serão destinados à compra de equipamentos militares. EFE ja/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG