Bolívia diz que opositor ordenou fechamento de fronteira durante eleições

La Paz, 4 abr (EFE).- O Governo boliviano denunciou hoje que o governador opositor do departamento de Tarija instruiu o fechamento das fronteiras com a Argentina para evitar que os bolivianos que vivem no país votem nas eleições regionais e municipais deste domingo.

EFE |

O ministro de Governo (Interior) boliviano, Sacha Llorenti, disse que o governador regional interino de Tarija, Mauricio Lea Plaza, e as autoridades da Corte Departamental Eleitoral do departamento instruíram o fechamento das fronteiras nas cidades de Bermejo e Yacuiba, impedindo inclusive o trânsito a pé por esses pontos.

Segundo Llorenti, a decisão "é absolutamente inconstitucional e ilegal" e viola os direitos fundamentais dos bolivianos que vivem em cidades argentinas fronteiriças e que estão "legalmente habilitados" para votar.

O ministro acrescentou que as autoridades regionais não têm poderes para tomar esse tipo de decisão e, por isso, terão que se submeter a processos "por usurpação de funções e por violação das garantias constitucionais".

Llorenti disse que o Governo aguardará relatórios completos sobre esta situação para fazer a denúncia correspondente à Corte Nacional Eleitoral (CNE).

À margem deste assunto, o ministro destacou a tranquilidade até o momento do dia eleitoral no país, com o registro de "incidentes menores".

Mais de cinco milhões de bolivianos elegem hoje 2.502 autoridades, entre eles nove governadores, 337 prefeitos e 267 legisladores departamentais. EFE gb/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG